"Anos maus servem para reorganizar", diz ex-adjunto

O treinador Rui Quinta, ex-adjunto de Vítor Pereira no FC Porto, considera que é "evidente" que os resultados dos dragões não são os esperados pelos adeptos, mas que anos como este servem para reorganizar a equipa.

Na quarta-feira, o FC Porto foi eliminado da Taça de Portugal, ao perder com o Benfica, por 3-1, na segunda mão das meias-finais, depois de já ter sido afastado da Liga Europa e estar arredado da conquista do título nacional.

"Quem gosta do FC Porto não estaria à espera do atual desfecho, mas tem de se perceber que há anos em que as coisas não correm tão bem, e servem para refletir, organizar-se e seguir para um novo ciclo de conquista", disse o treinador à agência Lusa.

Quinta lembrou que outros períodos menos bons ocorreram na equipa nos últimos 10 anos, período em que foi campeã nacional oito vezes.

"A equipa não pode desesperar se as coisas não correrem bem, e deve preparar-se para voltar a trilhar o caminho do sucesso na próxima época", realçou.

O treinador está em Santos, cidade no litoral do Estado de São Paulo, para um estágio nas equipas de base da Portuguesa Santista.

O ex-adjunto do FC Porto, que trabalhou dois anos na equipa, afirmou que seu futuro será definido somente no final do mês, quando termina seu trabalho na Portuguesa Santista.

Quinta disse ainda que está a esperar um "desafio" adequado, e que já recebeu alguns convites, mas que não se concretizaram.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG