FC Porto vai "à luta" em Turim em busca de prestígio e 10,5 milhões

Dragões vão tentar segurar a vantagem de 2-1 nesta noite frente à Juventus de Cristiano Ronaldo, num jogo que vale a passagem aos quartos-de-final. Conceição lembra história rica e grande na competição.

O FC Porto joga nesta noite (20.00, TVI) em Turim a passagem aos quartos-de-final da Liga dos Campeões, o que a acontecer seria a sétima vez desde 1994-95, época em que a Champions passou a ter o atual formato (fase de grupos seguido de eliminatórias). O desafio de hoje é de máximo grau de dificuldade, diante da Juventus de Cristiano Ronaldo, no qual a equipa de Sérgio Conceição vai tentar defender a margem (curta) do jogo da primeira mão, no Dragão, há 15 dias, com uma vitória por 2-1.

Além do prestígio internacional, a passagem aos quartos-de-final permitiria aos cofres da SAD portista embolsar mais 10,5 milhões de euros, o prémio que a UEFA paga aos clubes que atingem esta fase da competição - as meias-finais valem mais 12 milhões de euros, a presença na final 15 milhões e o campeão embolsa ainda mais 19 milhões.

A acontecer a passagem aos quartos-de-final, a sociedade liderada por Pinto da Costa pode somar só nesta temporada um bolo de pelo menos 79 milhões de euros com receitas provenientes da UEFA (somando o dinheiro da entrada na fase de grupos, os prémios monetários alcançados com os resultados e as passagens aos oitavos e quartos-de-final) - até agora arrecadou 68,5 milhões de euros (já com direitos televisivos incluídos).

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, tem consciência das dificuldades que o esperam, mas não atira a toalha ao chão. "Temos noção de que a Juventus investiu muito para tentar ganhar a Liga dos Campeões. Sabemos das dificuldades, mas vamos com tudo para conseguir a qualificação. A força da Juventus tem a ver com deixar o melhor do mundo [Cristiano Ronaldo] de fora e ganhar 3-1 à Lazio. São jogadores que semanalmente têm jogos de alto nível, é uma liga extremamente competitiva. A Juventus demonstra uma força incrível. Estão habituados a essa pressão. Mas temos de olhar para nós, para a nossa organização. Estamos preparados para uma Juventus na máxima força. Temos de ir à luta. Vamos apresentar-nos na melhor forma que pudermos e soubermos e demonstrar que somos um clube histórico e capaz de ultrapassar esta eliminatória", referiu na antevisão.

A diferença de investimento

O técnico portista, que adiantou que Pepe e Corona estão em dúvida até à hora do jogo mas que Mbemba em princípio estará disponível, lembrou também que a equipa treinada por Andrea Pirlo tem vários jogadores recuperados para este jogo e destacou a diferença de investimento entre os dois emblemas.

"Recuperaram alguns jogadores importantes, como Cuadrado, Chiellini penso que poderá jogar, Bonucci, Arthur, médio que "só" custou 72 milhões, três ou quatro vezes mais do que as nossas contratações. Mas isso não joga, são 11 contra 11, mais cinco que entram e que certamente farão tudo para dignificar o emblema que temos ao peito. A história deste clube nesta competição é muito rica e muito grande", considerou.

Conceição deixou ainda uma palavra aos adeptos portistas, que apesar de não poderem apoiar a equipa no estádio têm-no feito de outras formas: "Os adeptos do FC Porto como eu os conheço, e já os conheço há dezenas de anos, não precisam de manifestações como cachecóis e bandeiras nas janelas para demonstrar a paixão pelo clube. Quando andamos na rua ou no supermercado, ou a caminho do Olival, sente-se essa paixão. Por vezes, as pessoas nem bom-dia dizem, dizem logo que é para ganhar e só depois bom-dia. A paixão dos adeptos sente-se e está presente em todos os dias da vida do clube. Os nossos adeptos são sempre uma força extra para nós."

Já Andrea Pirlo, treinador da Juventus, mostrou respeito pelo adversário e também não espera facilidades na partida desta noite. "Será um jogo muito importante, em que teremos de contrariar a desvantagem da primeira mão. É um jogo decisivo. Temos de ter muita paciência, porque o FC Porto é uma grande equipa. Este não será diferente de qualquer outro jogo importante. Vamos querer deixar tudo em campo. Ronaldo? Sente-se bem e não vê a hora de começar o jogo", garantiu o técnico.

Dar a volta ao 2-1 deu títulos

Em toda a história do clube, o FC Porto atingiu os quartos-de-final da Champions em nove ocasiões, sendo que a primeira foi na época 1986-87, quando venceu a prova após derrotar o Bayern Munique.

Mas se tivermos em consideração apenas o modelo atual da Champions, em vigor desde 1994-95, foram seis as vezes que o FC Porto atingiu os "quartos", fase em que em 1996-97 foi eliminado pelo Manchester United (0-4 no conjunto das duas mãos) e em 1999-2000 foi afastado pelo Bayern Munique (2-3). Em 2003-04, ultrapassou os quartos e venceu a final diante do Mónaco (3-0), tendo depois disso caído mais três vezes nos quartos: 2008-09 diante do Manchester United (2-3), 2014-15 frente ao Bayern Munique (4-7) e em 2018-19 com o Liverpool (1-6).

Curiosamente, nos dois títulos europeus conquistados pelo FC Porto (1986-87 e 2003-04), os dragões venceram os respetivos jogos da primeira mão dos oitavos-de-final... por 2-1. Na primeira vez, com Artur Jorge ao leme da equipa, ganharam em casa do Dínamo Kiev por este resultado, e repetiram o triunfo pelos mesmos números no jogo da segunda mão. Na segunda ocasião, já sob a orientação de José Mourinho, os dragões bateram o Manchester United (com Cristiano Ronaldo) por 2-1, e depois na segunda mão disputada em Old Trafford empataram a um golo.

O historial de confrontos entre o FC Porto e a Juventus em provas europeias é claramente favorável aos italianos. Aliás, a única vitória portista em seis confrontos foi precisamente a de há 15 dias, no Dragão, por 2-1. Isto numa história que começou em 1983-84, na final da já extinta Taças das Taças, com uma derrota dos dragões liderados por José Morais por 2-1, diante de uma Juve que era treinada por Giovanni Trapattoni.

Esta noite há mais um capítulo e em jogo está a passagem aos quartos-de-final da liga milionária. Um frente-a-frente entre duas equipas que em termos de valor de mercado estão separadas por muitos milhões - o plantel da Juventus vale 689,60 milhões de euros, o do FC Porto 264,60 milhões -, mas que curiosamente partilham o mesmo número de troféus na competição: dois. Os dragões venceram as edições da Champions de 1986-87 e 2003-04, e a Juve em 1984-85 e 1995-96.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG