Puma já sabe qual o problema das camisolas da Suíça

No jogo de domingo contra a seleção francesa, cinco camisolas rasgaram-se

A Puma reagiu com rapidez aos episódios caricatos do jogo de domingo entre as seleções suíça e francesa no âmbito do europeu de futebol. A marca já fez uma investigação e já apurou qual o problema com o equipamento da equipa helvética.

O fabricante de material desportivo informou que a análise às camisolas permitiu perceber que existia um lote de material em que os fios foram danificados durante o processo de produção, tornando as peças mais fracas.

"A Puma verificou o inventário de todas as camisolas das equipas Puma e pode garantir que um episódio tão lamentável não voltará a acontecer", disse a empresa num comunicado divulgado no site oficial. No texto, a marca explica que isso pode acontecer quando a combinação de calor, pressão e tempo não é devidamente controlado durante o fabrico, na Turquia.

O fabricante explica ainda que estas camisolas são feitas de uma mistura de elastano e poliéster e que o material defeituoso foi apenas usado num número limitado de camisolas da seleção suíça. Esta tecnologia, "usada com sucesso desde março de 2014 em equipamentos de seleções e de clubes", ajuda, segundo a empresa, os jogadores a manterem a temperatura ideal.

O comunicado termina com um pedido de desculpas à federação de futebol e aos jogadores suíços.

O jogo Suíça-França terminou empatado a zeros, mas com uma bola furada e cinco camisolas rasgadas, o que originou muitas piadas, até dos jogadores da seleção helvética. "Espero que a Puma não faça preservativos", disse Xherdan Shaqiri.

Além da seleção da Suíça, a Puma também fornece os equipamentos da Áustria, República Checa, Itália e Eslováquia.

A seleção nacional usa equipamento da Nike.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG