"Portugal está muito longe de poder ser campeão europeu"

O melhor marcador de sempre da Áustria é muito crítico para com a sua seleção. E é fã de Cristiano Ronaldo

Toni Polster marcou uma geração no futebol austríaco. Ele foi o grande ponta-de-lança do final dos anos 80 e início dos anos 90 do século passado, de tal forma que ainda hoje é o melhor marcador da história da sua seleção com 44 golos. E foi com ele no onze que a Áustria esteve na sua última grande competição, o Mundial 1998, curiosamente também realizado em França.

Ao DN, o antigo avançado de Áustria Viena, Torino e Sevilha mostra-se algo crítico para com a sua equipa. "Houve quem falasse que podíamos chegar à final, mas quem disse isso não é um verdadeiro especialista. Na qualificação correu tudo bem, não perdemos um único jogo e agora, chegados ao Euro, perdemos logo", diz ao DN o antigo avançado e agora treinador.

Logo, as contas para a Áustria são fáceis de fazer: "Precisamos de quatro pontos nos jogos com Portugal e Islândia. E temos forçosamente de vencer um deles para, pelo menos, chegarmos aos oitavos. Tenho de ser sincero e dizer que os sinais não são bons; Dragovic foi expulso com a Hungria e por isso está suspenso. E tenho de aceitar o vermelho porque é justo, quem já tem um amarelo tem de ter cuidado e ele não teve. E depois de ficar com dez a equipa enervou-se e bloqueou. Junuzovic tem uma lesão no tornozelo que o pode impedir de jogar e Janko não vai reencontrar a sua forma rapidamente."

E continua. Agora apontando baterias a Alaba, a estrela da equipa que evolui no Bayern Munique, e a mais jogadores sem personalizar: "Alaba pode e deve assumir mais responsabilidades dentro de campo... mas os outros também. Mas às vezes a bola não quer entrar e depois falta alguma experiência a estes jogadores."

E nem o selecionador, obreiro do regresso da Áustria às fases finais após 18 anos, escapa. "Marcel Koller tem de deixar de agradecer aos jogadores que fizeram a qualificação tão boa e escolher a equipa por aqueles que estiverem melhor no momento. Janko e Harnik têm grandes problemas e não estão em forma e por isso espero duas ou três alterações para o jogo com Portugal", considerou.

No que diz respeito a Portugal, Polster foi convidado a dizer se concordava com a avaliaçao de Fernando Santos, que, apesar de assumir o objetivo do título, não vê Portugal entre os principais favoritos a erguer a taça a 10 de julho em Paris: "Concordo, sim. O vosso selecionador tem toda a razão porque, na minha opinião, Portugal está muito longe de poder ser campeão europeu."

Quanto a Cristiano Ronaldo, nada melhor do que um antigo matador e também ex-Bota de Ouro - em 1987, ano do FC Porto campeão europeu - para dizer de sua justiça:"Se gosto de Ronaldo? Hombre, olhe para os seus números. Os números são números, não mentem."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG