Claque da seleção já prepara coreografia... para a final

Amanhã são esperados em Lyon, para a meia-final com o país de Gales, mil elementos acostumados a puxar por equipas

Após o encontro com a Islândia, em que os portugueses foram literalmente abafados pelos nórdicos, a Federação Portuguesa de Futebol meteu mãos à obra e conseguiu arregimentar homens do ofício, como Fernando Madureira, líder dos Superdragões, claque afeta ao FC Porto, para que Portugal pudesse ter uma força suplementar fora do campo.

Fernando Madureira, em conversa com o DN, diz que a onda está a crescer depois de no jogo com a Áustria, o primeiro em que compareceram, terem surgido apenas "30 elementos, 25 dos Superdragões e cinco da Juventude Leonina". No encontro com a Polónia "já eram 300" mas vai ser amanhã em Lyon, na meia-final contra o País de Gales, que vão surgir algumas novidades.

"Nos jogos anteriores não tivemos mas neste vamos ter uma coreografia quando se der a entrada das equipas em campo. E se passarmos à final vamos ter uma coreografia-surpresa. Será uma coisa diferente, porque estaremos numa festa de gala e é algo que já estamos a preparar apesar de sabermos que a bola é redonda e que no futebol tudo pode acontecer", diz Fernando Madureira.

Ricardo Cazal Ribeiro, amigo de Madureira, adepto do Sporting, agora desligado de qualquer claque e neto do antigo presidente Francisco Cazal Ribeiro, garante que em Lyon vão estar "pessoas habituadas a puxar pelas equipas em toda a Europa". Não se sabe ainda ao certo o número, pois há muita gente que vem "de núcleos de clubes de países fronteiriços à França, como a Bélgica", sustenta Fernando Madureira, ao passo que Cazal Ribeiro diz que a intenção é clara: "Vamos ensaiar quando nos juntarmos em Lyon e depois a nossa intenção é provocar impacto, mas isso depende muito de como estiver a equipa no jogo."

Para isso muito vai contribuir o plano estipulado. "Vamos espalhar estrategicamente pelas bancadas elementos das claques para que possam contagiar os cerca de 20 mil portugueses que esperamos que estejam no estádio", reforça Fernando Madureira.

De Portugal viajam elementos de claques afetas a Sporting, FC Porto, Leixões, Vitória de Guimarães, Famalicão, Farense, Desportivo das Aves, Sporting de Braga e Estoril. Como se percebe faltam elementos ligados ao tricampeão nacional Benfica. "Não vou dizer que não há adeptos do Benfica no nosso setor. Claro que deve haver. Não há é elementos das claques do Benfica, até porque não estão legalizadas e por isso não houve nenhum contacto", explica Fernando Madureira.

A finalizar um sentimento de Cazal Ribeiro, um dos elementos, juntamente com Fernando Madureira, que dinamizaram a claque de Portugal: "Acredito muito no senhor engenheiro e acho que não precisamos de ganhar nenhum jogo para sermos campeões europeus."

O Comité de Ética e Disciplina da UEFA, entretanto, multou a Federação Portuguesa de Futebol em sete mil euros por comportamentos incorretos dos adeptos no jogo com a Polónia - 2000 euros por deflagração de objetos pirotécnicos e 5000 pela invasão de campo registada durante o jogo.

Em Marcoussis

Mais Notícias

Outras Notícias GMG