Ester Alves terminou a aventura mais dura do mundo em 10º lugar

Os 4 portugueses presentes em prova terminaram o desafio. Duarte Mendonça em 48º, Artur Jorge Pereira em 73º, Carlos Guerreiro em 193º e José Lima em 606º.

Ester Alves terminou a 32ª edição da Marathon des Sables, a prova de aventura mais dura do mundo, em 10.º lugar. A atleta da Salomon Suunto Portugal foi a única portuguesa em prova e fechou o top 10, entre as profissionais da elite mundial.

A vencedora foi Elizabet Barnes que já tinha ganho em 2015, seguida de Nathalie Mauclair, que repetiu o 2º lugar conseguido em 2016, e de Fernanda Maciel que também repetiu o 3º lugar conseguido em 2016.

Ester Alves tinha grandes expectativas para este desafio. Estreou-se na primeira etapa de 30,3 km com alguma cautela, fazendo a adaptação ao terreno e mesmo assim terminou em 11º lugar. No dia seguinte partiu para a 2ª etapa de 39 km, mais conhecedora do terreno que iria enfrentar, no entanto desceu muitos lugares na classificação feminina, caindo para 27º.

Na terceira etapa a portuguesa recuperou e conseguiu fazer os 31,6 km em 4h 31m subindo ao 9º lugar na tabela feminina. Na etapa seguinte, a mais longa de todas com 86,2 km, Ester alcançou o 10º lugar. Na 5ª etapa e última a contar para a classificação, a atleta também ficou em 10º lugar depois de percorrer 42,4 km em 5 horas.

"As piores etapas foram as duas primeiras. Por mais que se prepare, nada prepara um atleta para isto. A dureza, as dunas, o calor, a lentidão de ritmo face ao que se está habituada, devido às dunas, areia e o peso nas costas. A aspereza das condições nos acampamentos, onde falta tudo o que é básico", confessou a atleta da equipa da Salomonrtugal.

Nos homens, Rachid El Morabity, o marroquino que já ganhou a prova 4 vezes, voltou a ganhar esta edição, seguido do seu irmão Mohamed El Morabity e do também marroquino Aziz El Akad. Os 4 portugueses presentes em prova terminaram o desafio. Duarte Mendonça em 48º, Artur Jorge Pereira em 73º, Carlos Guerreiro em 193º e José Lima em 606º.

A prova de 250 km no deserto do Sahara dividiu-se em seis etapas: Cinco que contaram para a classificação e uma outra solidária, mas obrigatória. As atletas concentraram-se no dia 8 de abril, tendo a corrida só começado no dia 9 e terminou este sábado, com a etapa solidária. No domingo os 1200 atletas, que desafiaram as adversidades do deserto do Sahara, descansam e na segunda-feira regressam a casa.

Mais Notícias