Emanuel Silva internado no hospital falha Europeus de canoagem

O canoísta português sentiu dores fortes e deu entrada num hospital de Poznan, cidade polaca onde se vai disputar o Campeonato da Europa.

O canoísta olímpico Emanuel Silva vai falhar os Europeus da Polónia devido a um problema renal sentido na quarta-feira e que ainda o mantém internado no hospital de Poznan, na Polónia.

"Os Europeus acabaram para o Emanuel Silva. Neste momento está em convalescença. Não está em condições para competir. Estamos em estudo para perceber verdadeiramente o nível do problema e só depois de entendermos a extensão do cálculo é que iremos depois decidir o que fazer", explicou à Lusa o médico da seleção, Jaime Milheiro.

Na quarta-feira, por volta das 16.30 horas, o canoísta que vai para os seus quintos Jogos Olímpicos sentiu "fortes dores abdominais, vómitos fortes, muitas dores" e teve de ser transportado ao hospital para ser observado, acabando por ser reinternado após ter alta, face às dores que regressaram.

"Foi uma cólica renal severa, forte, fortíssima. Desde então tem períodos de ausência de dor sob efeitos de analgésicos, mas quando começam a diminuir a dor volta forte", relatou o clínico.

Jaime Milheiro revelou que "depois de perceber verdadeiramente o nível de encravamento, da lesão, é que se pode ter uma melhor ideia do prognóstico" quanto ao tempo de paragem do atleta bracarense.

Em Poznan, Emanuel Silva liderava o K4 500 com João Ribeiro, Messias Baptista e David Varela, que ia ter o derradeiro teste antes dos Jogos Olímpicos e que há duas semanas, na Taça do Mundo, foi quarto, a quatro centésimos de segundo do bronze. Juntamente com Messias Baptista, o canoísta de 35 anos também ia fazer o K2 500.

Seleção tem de se reinventar

A seleção portuguesa de canoagem nos Europeus da Polónia vai reinventar-se, com a ausência de Emanuel Silva, sendo obrigada a reformular as provas em que vai participar, sem treino específico dos atletas.

"São as embarcações possíveis e nas quais podem sentir maior facilidade de participação", desabafou o treinador Rui Fernandes, responsável pelo olímpico K4 500 que inclui ainda João Ribeiro, Messias Baptista e David Varela e que nestes Europeus perseguia o pódio neste último momento de aferição internacional antes de Toquio2020.

Assim, João Ribeiro vai fazer K1 500 e K2 500 com Messias Baptista, substituindo Emanuel Silva nesta tripulação, enquanto David Varela competirá em K1 200.

"É uma situação que para nós é difícil, estranha. Um barco que estava a ser preparado, com os atletas motivados. Expectativas mais altas de fazer um resultado obviamente de pódio", disse Rui Fernandes, lembrando o quarto lugar na Taça do Mundo da Hungria, há duas semanas, a somente quatro centésimos de segundo do bronze.

Rui Fernandes atesta a "fibra" de Emanuel Silva, contudo aguarda pela confirmação da TAC para perceber o tempo que o seu canoísta estará inativo, desejando-lhe as "rápidas melhoras". "Estávamos com boas sensações e motivação para poder lutar por medalhas. Infelizmente estas coisas acontecem. E tens de olhar para frente, tentar com a mesma motivação e esperar que com ele as coisas melhorem", completou.

Agora, com a obrigatória reformulação da equipa, a ideia é "dar oportunidade" aos atletas que fazem parte do K4 para participar nos Europeus em embarcações "obviamente não trabalhadas", recordando que "a cabeça também conta" e o panorama não é o idealizado.

Para já, Fernando Pimenta apurou-se diretamente para a final ao vencer a sua eliminatória em K1 1000, o mesmo acontecendo na canoagem adaptada com Norberto Mourão a ganhar a sua prova de VL2.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG