Covid-19 leva Argentina a desistir de organizar Copa América a duas semanas do início da competição

Estão a ser analisadas "propostas de outros países que manifestaram interesse em receber o torneio continental", previsto entre 13 de junho e 10 de julho, e que um novo anfitrião será anunciado "em breve".

A Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL) anunciou no domingo que decidiu suspender a organização da Copa América na Argentina, devido à pandemia da covid-19 no país, e está à procura de uma nova sede.

A duas semanas do início da 47.ª edição da Copa América, a CONMEBOL disse "que, dadas as atuais circunstâncias, foi decidido suspender a organização da Copa América na Argentina", de acordo com uma mensagem divulgada na rede social Twitter.

A CONMEBOL acrescentou estar a analisar "as propostas de outros países que manifestaram interesse em receber o torneio continental", previsto entre 13 de junho e 10 de julho, e que um novo anfitrião será anunciado "em breve"

No domingo, a ministra da Saúde argentina, Carla Vizzotti, tinha já admitido que a realização da Copa América no país não estava "100% definida".

Argentina regista, desde abril, um aumento no número de casos

Na quarta-feira, o Governo argentino apresentou à CONMEBOL "os rígidos" protocolos de saúde para a realização da Copa América no país, que desde abril tem observado um aumento no número de casos de covid-19.

Inicialmente, a maior competição entre seleções sul-americanas devia ser coorganizada pela Argentina e pela Colômbia, mas este último deixou de ser sede, depois de ter pedido um adiamento, devido à crise e tensão social existente no país, o que a CONMEBOL recusou.

Na semana passada, o Presidente argentino, Alberto Fernández, tinha afirmado que o país estava pronto para receber o torneio, na sequência da decisão de retirar a Colômbia da organização.

A Argentina registou, no domingo, 348 mortes e 21 346 casos de covid-19. Desde o início da pandemia, o país contabilizou 77 456 óbitos e 3 753 609 infeções.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3 535 376 mortos no mundo, resultantes de mais de 169,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17 023 pessoas dos 848 658 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG