Exclusivo Comores "pescou" uma seleção em França e já fez história em África

Seleção do arquipélago descoberto pelos portugueses em 1505 fez história ao apurar-se para a CAN pela primeira vez. Amir Abdou e colónia comorense de Marselha foram decisivos.

A festa correu mundo e o mundo celebrou com eles o apuramento histórico para a Taça das Nações Africanas (CAN), que se joga no início de 2022 e conta já com 14 apurados (incluindo as surpresas Gâmbia e Cabo Verde). Mas o feito da União das Comores é estrondoso a muitos níveis e celebra aquilo que o futebol tem de melhor.

É certo que beneficiaram de um alargamento a 24 seleções, mas a seleção já vinha dando sinais de crescimento há algum tempo. O que por si já é histórico num país com uma situação política e social complicada, com mais de 20 golpes de estado em 50 anos. Formada depois da independência, em 1979, a seleção da União das Comores começou por participar nos Jogos das Ilhas do Oceano Índico. Mas só em 2003 se filiou na Confederação Africana de Futebol e em 2005 foi reconhecida pela FIFA.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG