Relva à vista. Cidade do Futebol veste-se para receber seleções

Obra orçamentada em 13 milhões de euros está em fase de acabamento para receber estágio de Portugal antes do Euro 2016

O autocarro da seleção nacional já pode passar. Os acessos à Cidade do Futebol, no Jamor, estão prontos. E lá dentro está quase tudo construído e em fase de acabamentos. A relva já cresce verde à espera de ser pisada pelos 23 eleitos de Fernando Santos para o Euro 2016. Mas ainda falta ultimar os balneários, o gabinete técnico, o auditório para as palestras e, claro, saber a lista final do selecionador...

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, revelou o desejo de inaugurar a obra no dia do aniversário do organismo (101 anos a 31 de março). E pode até ser, mas a FPF não se compromete com um dia em específico, visto a data depender da agenda de algumas personalidades como o presidente da República, o primeiro-ministro, os líderes da UEFA e da FIFA (nesta altura sem rosto) ou Cristiano Ronaldo e demais jogadores.

Certo é que a inauguração será na primavera e a tempo de receber o estágio de preparação da seleção nacional para o Campeonato da Europa, previsto para maio.

O projeto foi apresentado a 6 de novembro de 2014, com a presença de muitas lendas do futebol português e o ministro Marques Guedes. Nesse dia, Fernando Gomes confessou o "orgulho e a satisfação", mas também o "alívio", por conseguir colocar o projeto de pé sem "dinheiros públicos" e, já nessa altura, com 85% do custo total garantido. "São 4 ou 4,5 milhões de euros da UEFA, 1 ou 1,5 milhões de euros da FIFA", anunciou o presidente, revelando que a participação das entidades que tutelam o futebol europeu e mundial podia superar os 40% do total.

Cristiano Ronaldo e companhia também ajudaram: 15% do financiamento resultou do cachet da participação da seleção nacional em jogos amigáveis. Inicialmente, a Cidade do Futebol estava orçamentada em 10 milhões de euros, mas depois a FPF decidiu mudar a sede para o Jamor, o que levou a um acréscimo de mais três a cinco milhões ao custo total.

Centro do futebol nacional

A Cidade do Futebol nasceu precisamente no antigo parque de estacionamento do Jamor, propriedade do IPDJ. Localizada no Alto da Boa Viagem, entre Queijas e Caxias, no concelho de Oeiras, o complexo tem cerca de 7 hectares (370 metros de comprimento e 220 metros de largura) e o hospital--prisão de Caxias e o Estádio Nacional como vizinhos.

O complexo vai ficar ligado ao Jamor por um túnel. E vai reunir num só local todas as instalações da Federação, nomeadamente um Edifício-Sede (serviços da Federação) e um Centro Logístico (armazéns de material de treino e de equipamentos, arquivo, áreas de apoio e manutenção dos campos de treino, lavandaria e o Centro de Imprensa da FPF). Depois há um Centro Técnico (balneários, ginásio, centro de hidroterapia e um núcleo de escritórios destinado ao trabalho da equipa técnica e staff de apoio) e um Núcleo Central (praça de acolhimento, centro de formação, grande auditório, restaurante/cafetaria).

A Federação privilegiou a localização e mais-valias do atual espaço apesar de as dimensões serem menores do que a projetada Casa das Seleções idealizada por Gilberto Madaíl, em Sintra. E optou por não incluir uma residência/hotel no projeto, por exemplo. Até porque tem optado por deslocalizar os jogos das várias seleções nacionais por todo país, o que criaria um vazio no calendário durante muitos meses, ao passo que em outros não chegaria para fazer face a todas as seleções de uma só vez. Foi ainda tido em conta a vasta oferta hoteleira da zona.

Como os relvados ganharam vida

A Cidade do Futebol vai resolver muitos problemas de logística do treino. Só de 2014 a 2015 as seleções fizeram 663 sessões de trabalho, tiveram 752 dias de estágio e 163 jogos. E, apesar de ter apenas três campos e meio, basta atravessar a estrada e existem mais dois, além do Estádio Nacional, integrados no Centro de Alto Rendimento do Jamor, que até agora têm estado à disposição da Federação.

A adjudicação dos três relvados e meio (este para treino de guarda-redes) foi feita em maio de 2015 e a construção começou em junho, depois de concluídos os reservatórios de água para rega. A sementeira aconteceu no outono e a primeira relva rompeu antes do final de 2015. Agora está a ganhar força e consistência de forma a poder receber os treinos da seleção no pré-estágio para o Campeonato da Europa em maio (foto principal).

Um dos relvados terá uma bancada para media e convidados/adeptos com cerca de 340 lugares sentados.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG