Chefe dos Jogos de Tóquio sugere limites tempo de fala para as mulheres

Yoshiro Mori, 83 anos, sugeriu que as mulheres falam demais e que por isso as reuniões se tornam demasiado longas

Yoshiro Mori, ex-primeiro-ministro do Japão e chefe dos Jogos Olímpicos de Tóquio, quer limitar o tempo de fala às mulheres em reuniões ou... "então nunca seremos capazes de terminar".

Mori, de 83 anos, provocou uma reação negativa nas redes sociais ao ter sugerido que as mulheres falam demais durante uma reunião executiva do Comité Olímpico do Japão.

"As reuniões com muitas mulheres duram muito tempo", disse o responsável pelo evento, citado pelo Asahi Shimbun, um dos maiores jornais diários do país. "As mulheres têm um forte sentido de competição. Se uma pessoa levanta a mão, as outros provavelmente pensam que recisam de dizer algo também. É por isso que todas falam. É preciso regular o tempo de uso da palavra até certo ponto", concluiu.

No Twitter, os utilizadores da rede social rapidamente começaram a pedir a demissão de Mori, havendo quem sugerisse que a idade do ex-primeiro-ministro japonês e a sua atitude desatualizada eram o verdadeiro problema.

Mori tem sido a cara do comité organizador dos Jogos de Tóquio e tem insistido em não cancelar o evento apesar da pandemia de covid-19.

Curiosamente, o responsável diz que as mulheres que pertencem ao comité organizador são uma exceção, pois são capazes de falar com brevidade. "Estão habituadas a palcos internacionais e por isso a conversa delas é sofisticada, vai direta ao ponto", afirmou.

A pouco mais de cinco meses para o início dos Jogos, agendado para 23 de julho, Tóquio permanece em estado de emergência e ainda não começou o processo de vacinação, o que para muitos põe em risco a competição.

Numa sondagem feita no último mês, 77% da população do país era favorável ao cancelamento ou ao adiamento do jogo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG