Condutor do BMW confirma que teve autorização para entrar em Alcochete

Dono de stand conduzia o BMW gravado a sair do centro de estágio do Sporting com elementos supostamente envolvidos nas agressões ao plantel e equipa técnica dos leões. Diz que foi lá para ajudar

A notícia avançada pela SIC mostra imagens da entrada do BMW azul, modelo 420 Grand Coupé Pack M, no recinto da Academia de Alcochete, cerca de duas horas depois das agressões ao plantel e equipa técnica do Sporting, na passada terça-feira.

O carro entrou apenas com o condutor e saiu com todos os lugares ocupados, tendo recolhido passageiros que entraram a correr na viatura após o ataque.

Nuno Torres era o condutor do carro. Este mora em Fernão Ferro, no concelho de Almada, e é dono do stand Torres Car onde, segundo o Record, o BMW podia ser encontrado à venda por 53.900 euros.

Em declarações à SIC Notícias, o empresário admitiu ter sido autorizado a entrar e disse que nada tem a ver com as agressões.

"[Quando entrei] Já a situação tinha acontecido, já não estava lá ninguém, já tinha saído o Jorge Jesus um pouco ensanguentado e eu tentei, com uma garrafa de água, ajudá-lo. Jesus foi a única pessoa que vi ensanguentada, tinha sangue nos lábios. Fui buscar o meu carro, voltei e fui buscar o Fernando Mendes. Nós não fizemos nada. Entrei com o carro, fui autorizado pelo Sporting, pelos seus responsáveis, pela segurança a entrar com o carro, sem problema nenhum. Não tive de dizer nada ao segurança, zero, entrei com o carro e já tinha lá a minha matrícula. Tinham dado autorização à entrada da minha matrícula, mas não sei quem deu essa autorização."

Disse ainda: "Fui lá para tentar ajudar. Não tenho nada a ver com o que se passou antes. Não entrei encapuzado, tenho um negócio a gerir, a manter, tenho os meus filhos para sustentar, os filhos dos meus empregados para sustentar... Tenho obrigações financeiras para cumprir e o que foi feito durante o dia de hoje foi revoltante, porque fui lá tentar ajudar o Sporting e sou crucificado desta maneira."

Segundo reportagem anterior da SIC, o BMW esteve cerca de sete minutos na Academia e deu a volta ao recinto para apanhar os indivíduos já identificados como sendo membros da claque Juve Leo.

Segundo o Correio da Manhã, o segurança do centro de treinos terá dito à GNR ter recebido ordens para deixar entrar o veículo.

O mesmo jornal adianta que o empresário do ramo automóvel conhecia Bruno de Carvalho, com quem partilhava fotos nas redes sociais.

A família do condutor da viatura em questão garantiu à CM TV que ele é adepto do Sporting e sócio da Juve Leo, mas nega que esteja envolvido nas agressões.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG