Caja Rural abandona Volta a Portugal devido a dois casos suspeitos de covid-19

Os positivos obrigaram a que os ciclistas, assim como o 'staff', da W52-FC Porto, do Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel e da Movistar, que estavam instalados no mesmo hotel, fossem testados antes da terceira etapa

A Caja Rural abandonou este sábado a 82.ª Volta a Portugal em bicicleta, após dois elementos da equipa espanhola terem sido considerados casos suspeitos de covid-19, confirmou este sábado a organização.

Os positivos na formação espanhola obrigaram a que os ciclistas, assim como o 'staff', da W52-FC Porto, do Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel e da Movistar, que estavam instalados na mesma unidade hoteleira, fossem testados antes do arranque da terceira etapa, que hoje liga a Sertã e o alto da Torre (Covilhã), no total de 170,3 quilómetros.

A testagem de cerca de cinco dezenas de pessoas atrasou a partida da tirada, com os envolvidos a aguardarem em fila para ser testados e, posteriormente, à porta ou dentro dos autocarros pelos resultados.

"Neste momento, temos condições para continuar a Volta com essas equipas", disse Ana Lúcia Pereira.

A médica responsável pelas medidas sanitárias da prova detalhou que foram ativados "todos os procedimentos previstos para estes casos", depois de os testes suspeitos terem sido comunicados à organização pela própria Caja Rural.

"Neste momento, não vos posso adiantar mais informações", respondeu, ao ser questionada sobre se os testes em questão tiveram um resultado positivo ou inconclusivo.

O início da terceira etapa, que deveria ter começado às 12:25, foi atrasado 10 minutos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG