Águias ainda sem asas a cinco dias da Supertaça

Benfica voltou a deixar uma má imagem, sobretudo a defesa, somando a quarta derrota em seis partidas nesta pré-época

O Benfica despediu-se ontem da Emirates Cup (e dos jogos de pré-temporada) com mais uma derrota, a quarta em seis partidas. Diante do RB Leipzig, o vice-campeão alemão, os encarnados voltaram a demonstrar muitas falhas defensivas, algo preocupante quando faltam cinco dias para o primeiro jogo oficial da temporada, diante do V.Guimarães, para a Supertaça, marcado para o próximo sábado.

Após a derrota por 2-5 no primeiro jogo da Emirates Cup, perante o Arsenal, onde Rui Vitória apresentou um onze perto do normal, ontem o técnico mudou quase tudo, deixando apenas Cervi e optando por uma equipa menos rodada, dando oportunidades a jogadores menos utilizados.

Muitos tinham de mostrar-se, como o lateral Pedro Pereira, o médio Chrien ou mesmo Carrillo, mas mais uma vez não aproveitaram. É verdade que os encarnados tiveram sempre mais posse de bola, mas durante os 90 minutos percebeu-se que foi um domínio consentido pelos alemães.

O vice-campeão alemão mostrou-se muito mais personalizado e com mais e melhores ideias de jogo. Aliás, foi isso que faltou ao Benfica, uma equipa entrosada e com ideias. Com os tais testes de Rui Vitória, os encarnados viviam mais de iniciativas individuais do que da sua força coletiva.

E se do meio-campo para a frente Cervi ainda dava um ar de sua graça, sempre com os tais lances individuais, atrás, na defesa, os erros eram mais que muitos, como foi imagem de "marca" do Benfica desta pré-temporada.

Num deles, aos 19", o lateral esquerdo Halstenberg encontrou uma via rápida na grande área, após combinação com um colega, e disparou sem hipóteses para Bruno Varela, que ontem fez as vezes de Júlio César, e até impediu mais um golo dos alemães na primeira parte.

No segundo tempo pouco mudou. O RB Leipzig geriu a vantagem, deu pouco espaço ao clube português e, diga-se, os interveninentes das águias também pouco vontade demonstravam. A velocidade então era mínima.

Foi preciso entrar Jonas, aos 60 minutos, para dar uma imagem diferente do Benfica, mas aí a formação portuguesa já perdia por 2-0, isto depois de outro defesa dos alemães, Compper, ter feito o resultado final aos 53", quando apareceu sozinho na área a cabecear após um livre direto.

Com Jonas em campo os encarnados aproximaram-se mais da área dos alemães, mas a verdade é que ontem o brasileiro não teve companheiros à sua altura. E assim a sua vontade não passou disso mesmo e o melhor que o Benfica acabou por fazer neste jogo foi mesmo um remate do avançado aos 78", que deu golo a Mitroglou, na recarga, mas foi invalidado por fora-de-jogo e uma bola na trave de Lisandro López, aos 86".

Pior que a exibição terá sido a lesão de Mitroglou, que esteve pouco mais de oito minutos em campo, dando conta de uma lesão muscular na sua coxa esquerda.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG