22 golos. A meta para o ataque de Rui Vitória entrar na história

Encarnados levam 70 remates certeiros na Liga e se conseguirem manter a média nos oito jogos que faltam entram no top 5 dos melhores ataques do clube num só campeonato

O Benfica de Rui Vitória está a 22 golos de igualar o quinto melhor ataque de sempre do clube numa só edição do campeonato. À primeira vista parece uma tarefa complicadíssima nas oito jornadas que faltam disputar, no entanto, se olharmos para a média de 2,69 golos por jogo que os encarnados levam na Liga, verificamos que está ao alcance de Jonas, Mitroglou e companhia.

Em 26 partidas realizadas para o campeonato, a equipa de Rui Vitória já contabiliza 70 golos marcados, o que a coloca neste momento como 37.º ataque encarnado mais concretizador de sempre. Mas é certo que irá trepar algumas posições, faltando saber se irá manter o ritmo que tem imprimido até ao momento. Se assim for, os 92 golos marcados em 1960-61 pelo Benfica campeão europeu de Bela Gutmann estão ao alcance.

Mais complicado será atingir o quarto posto, ocupado pela equipa de Mário Wilson, campeã nacional em 1975-76 com 94 golos apontados nas 30 jornadas do campeonato. E inatingíveis parecem ser as três primeiras posições: 99 golos do Benfica de Janos Biri de 1946-47 que não conquistou o título; os 101 da equipa orientada pelo Jimmy Hagan campeão em 1972-73; e o melhor ataque benfiquista de sempre com 103 golos com o húngaro Lajos Czeizler como treinador que também levou as águias ao título em 1963-64.

Curiosamente, a equipa com mais golos de sempre numa só edição do campeonato tinha Eusébio como melhor marcador com 28 golos, precisamente os mesmos que o brasileiro Jonas contabiliza atualmente. O ponta-de-lança José Torres marcou nessa temporada 22 golos, seguido por Yaúca com 15 e José Augusto com 11.

Numa comparação com os campeonatos disputados apenas neste século, o Benfica de Rui Vitória está a 16 golos da equipa de Jorge Jesus que na época passada registou 86 remates certeiros, sendo atualmente o 10.º melhor ataque de sempre. A apenas oito está a equipa de 2009-10, a primeira de Jesus na Luz, e a sete golos encontra-se o Benfica de 2012-13, que perdeu todas as competições no final da época.

Com o objetivo da conquista do 35.º título de campeão nacional como principal objetivo, Rui Vitória tem ainda outras metas acessórias que o podem fazer entrar na história dos encarnados.
Jonas com Magnusson na mira

Dos 70 golos que os encarnados levam na Liga, 63% foram à conta de Jonas e Mitroglou, que juntos contabilizam 44. O brasileiro, com 28 golos, lidera a corrida à Bota de Ouro, troféu referente ao de melhor marcador dos campeonatos europeus, com mais um golo do que Cristiano Ronaldo (Real Madrid), Zlatan Ibrahimovic (PSG) e Gonzalo Higuaín (Nápoles).

Em quase dois anos na Luz, Jonas já contabiliza 61 golos em 72 jogos disputados em todas as provas, tendo assim uma média de 0,84 golos por partida. De resto, o internacional brasileiro já é o jogador encarnado que mais golos marcou numa edição da Liga neste século, tendo ultrapassado a marca do paraguaio Oscar Cardozo, que em 2009-10 apontou 26.

De resto, no historial do Benfica no campeonato, Jonas está agora com Mats Magnusson em ponto de mira, pois em 1989-90 o sueco marcou por 33 vezes, sendo até hoje o estrangeiro com mais golos num só campeonato.

Melhor do que o nórdico apenas Eusébio, que apontou 42 golos na época 1967-68 e 40 em 1972-73. Os recordes do Pantera Negra parecem inatingíveis, mas a posição de Magnusson está seriamente ameaçada, afinal Jonas está a apenas cinco golos de distância e ainda tem oito jogos para disputar.
Durante este século apenas um jogador marcou mais golos do que Jonas em jogos do campeonato nacional, foi Mário Jardel em 2000-01, que ao serviço do Sporting completou as 34 jornadas da Liga com 42 golos marcados. O recorde absoluto pertence a outro sportinguista: o argentino Héctor Yazalde, que faturou por 46 vezes na temporada 1973-74.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG