21,8 milhões por Jiménez. Valor recorde em Portugal

Encarnados tinham pago 9,8 milhões por 50% do passe e ontem confirmaram terem entregado mais 12 ao Atlético de Madrid. No total, entre clubes, já transacionaram 12 jogadores

É oficial. Após o empresário e o pai terem revelado nos últimos dias que o Benfica tinha chegado a acordo com o Atlético de Madrid para a compra dos restantes 50% do passe de Raúl Jiménez, a SAD do clube da Luz comunicou ontem a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a conclusão do negócio. Depois de no ano passado terem pago 9,8 milhões por 50% do passe internacional mexicano, ontem as águias assumiram nova tranche de 12 milhões pelo remanescente. Ou seja, Jiménez tornou-se o futebolista mais caro da história do futebol encarnado, num total de 21,8 milhões.

"A Sport Lisboa e Benfica - Futebol, SAD, em cumprimento do disposto no artigo 248.º do Código dos Valores Mobiliários, vem informar que adquiriu os restantes 50% dos direitos económicos do atleta Raúl Alonso Jiménez Rodríguez que remanesciam na titularidade do Club Atlético de Madrid SAD pelo valor de euro 12 000 000 (doze milhões de euros). Mais se informa que a Sport Lisboa e Benfica - Futebol, SAD passou a deter a totalidade dos direitos do referido atleta", lê-se no comunicado enviado à CMVM.

Curiosamente, no top 3 das contratações mais caras feitas pelo Benfica o denominador comum é o... Atlético de Madrid. Pizzi, ex-jogador dos colchoneros, custou 14 milhões, e mais caro antes fora Salvio, numa transferências orçada em 13,5 milhões. Refira-se que já nesta temporada Benfica e Atlético tinham realizado outro negócio, a compra de Gaitán por parte do emblema da capital espanhola, a troco de 25 milhões de euros.

Jiménez, internacional mexicano de 25 anos, tornou-se também o mais caro da história do futebol daquele país da América Central. Até ontem, Chicharito era o mais dispendioso - custou 12 milhões ao Bayer Leverkusen, para onde se transferiu no ano passado, proveniente do Manchester United.

Será Hulk mais caro?

Jiménez é a contratação mais cara de sempre do futebol português tendo em conta o preço do passe sem custos de intermediação (o Benfica não divulgou, nem costuma tornar públicos estes valores individualmente nos relatórios e contas). Mas se este item for contabilizado, a transferência de Hulk para o FC Porto foi mais cara, pois no total os dragões pagaram pelo avançado brasileiro 22 milhões de euros.

A SAD dos dragões confirmou, no seu relatório e contas de 2011, todos os pormenores da aquisição do internacional brasileiro e entre compras e vendas de partes do passe, os azuis e brancos acabaram por pagar um total de 19 milhões. A esse valor, contudo, a SAD presidida por Pinto da Costa confirmou depois que acabou por ter custos de três milhões no que diz respeito a comissões, o que somando dá um total de 22 milhões de euros.

Resta agora esperar pelo relatório da SAD do clube da Luz para perceber se houve direito a comissões na transferência do mexicano. Por norma, no entanto, e atendendo aos últimos relatórios, o clube da Luz não costuma detalhar os custos de intermediação de cada negócio, mas sim revelar os valores globais de todos eles.

Quase 130 milhões em transações

Desde 1992, quando o Benfica contratou Paulo Futre (livre) ao Atlético de Madrid, encarnados e colchoneros já fizeram negócios envolvendo 129,95 milhões de euros, num total de 12 transações entre os dois emblemas.

De Madrid para Lisboa rumaram José António Reyes (2,65 milhões de euros), Roberto (8,5), Salvio (13,5), Pizzi (14) e finalmente Raúl Jiménez (21,8), numa despesa total por parte do Benfica de 60,45 milhões de euros.

Já o Atlético de Madrid pagou ao clube da Luz até ao momento 69,5 milhões, nas transferências de Hugo Leal (custo zero), Dani (2,5), Simão Sabrosa (20 milhões), Roberto (6), Jan Oblak (16) e mais recentemente Nico Gaitán (25).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG