Benfica sofreu para eliminar Boavista e ganhar lugar na final

Grande segunda parte dos axadrezados anulou golo de Everton e levou decisão para os penáltis, onde as panteras revelaram grande desacerto. Equipa da Luz é a mais titulada da prova, mas desde 2015-16 que não ia à final.

O Benfica está na final da Taça da Liga. A equipa da Luz chegou ao fim dos 90 minutos empatada com um enorme Boavista (1-1) e sujeitou-se à chamada lotaria dos penáltis, onde foi melhor e mais feliz. A equipa da Luz volta assim à final da prova onde é rainha, seis anos depois e vai tentar conquistar o oitavo troféu. A final é no sábado e o adversário será conhecido na quarta-feira, dia em que Sporting e Santa Clara decidem qual deles se junta à festa.

Tanto Nélson Veríssimo como Petit foram para a meia final com muitas baixas no plantel. As ausência de Otamendi, Darwin (ambos nas seleções) e Rafa (com covid-19), obrigaram o treinador do Benfica a fazer três mudanças no onze a apostar em Morato, Diogo Gonçalves e Everton. Já o técnico axadrezado tinha dez habituais titulares ausentes e ainda teve de substituir Porozo, Reggie Cannon e Ntep por Filipe Ferreira, Luís Santos e Gorré.

Mudanças forçadas que à primeira vista não condicionaram as estratégias iniciais. Jogo interessante do ponto de vista tático e com alguns movimentos que indiciavam que qualquer uma das equipas podia pegar no jogo até que um erro de Nathan desequilibrou o marcador. O defesa axadrezado facilitou e Everton, qual ave de rapina à espera de oportunidade para roubar a bola, aproveitou para se isolar e fazer o 1-0 aos 17 minutos. Bracali, o jogador mais velho de sempre (40 anos) a jogar nas fases decisivas, nada pode fazer para travar o remate do brasileiro.

O golo não intimidou o Boavista. Petit tinha avisado a equipa sobre a possibilidade de jogar em desvantagem no marcador e os jogadores mostraram que a palestra não tinha sido em vão. Logo na jogada seguinte a ter sofrido um golo, a equipa chegou à área do Benfica. Sauer ia isolada para a baliza quando Weigl lhe roubou a bola num corte in extremis. As panteras ficaram a reclamar do lance e a pedir um cartão para o alemão, mas nem uma coisa nem outra e o jogo seguiu com a equipa de Petit a fazer prova de vida com remates de Musa e Yanis Hamache.

O corredor esquerdo benfiquista trabalhava melhor do que a ala direita ofensiva, que sentia (e de que maneira) a ausência do habitual dono (Rafa). Era na esquerda que Everton se divertia e ficou perto de fazer o segundo aos 40 minutos. Depois do falhanço que impediu a equipa benfiquista de ir sossegado para o intervalo, Everton pedia mais "concentração" no último passe para "matar o jogo" na segunda parte. Não aconteceu.

A promessa de Bracali que Sauer cumpriu

Se Everton queria matar o jogo no segundo tempo, Bracali prometia um Boavista a lutar pelo empate. Previa-se por isso uma subida das linhas axadrezadas. Era preciso correr riscos. Afinal estava em jogo uma final e a possibilidade de fazer história. O clube do Bessa já foi campeão e venceu a Taça de Portugal por cinco vezes, mas nunca tinha ido tão longe na Taça da Liga e o treinador tinha prometido ambição.

E foi logo no regresso dos balneários que as palavras se materializaram em golo. Um erro de Morato - num lance aparentemente inofensivo acertou no pé de Musa e o árbitro marcou grande penalidade - deu a Gustavo Sauer a oportunidade para empatar e ele não desperdiçou. O Boavista ameaçou mesmo fazer o segundo e só não o conseguiu porque Vlachodimos não deixou Musa brilhar. O grego voou para impedir o golo do aos 60 e 68".

A estatística era favorável aos do Bessa (seis remates à baliza contra dois). Lázaro sentia muitas dificuldades em travar Musa, mas Veríssimo optou por o manter em campo e trocar Everton para a direita. Depois de meter Gonçalo Ramos e Gil Dias o técnico benfiquista pedia cabeça à equipa, mas não havia maneira de reagir à armada ofensiva de Petit que só mexeu no onze aos 84 minutos. E foi em cima do minuto 90 que o recém entrado Pizzi remou contra a maré e ainda atrapalhou Bracali, que quase sem saber como impediu o golo do Benfica e levou a decisão para as grandes penalidades.

VEJA OS GOLOS

1-0 Everton (Benfica)

1-1 Gustavo Sauer (Boavista)

isaura.almeida@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG