Benfica pede a Soares Dias para deixar de apitar e é alvo de queixa

Arbitragem no clássico debaixo de fogo. Clube da Luz acusa juiz de não conseguir ser imparcial nos jogos das águias com o FC Porto. Jesus (que até tinha elogiado o juiz antes da partida), Grimaldo e Otamendi podem ser alvo de processos.

O Benfica acusou ontem o árbitro Artur Soares Dias de impedir a equipa de vencer o clássico da 31.ª jornada com o FC Porto. O jogo de quinta-feira, no Estádio da Luz, terminou empatado (1-1), com a arbitragem a assumir um papel decisivo.

O VAR (João Pinheiro) reverteu duas grandes penalidades a favor dos encarnados e ainda anulou um golo à equipa de Jorge Jesus já depois dos 94 minutos, que lhes daria a vitória. Mas nenhum desses lances é a razão da indignação benfiquista. As acusações das águias centram-se nas decisões do árbitro.

A frio, e já depois de Jorge Jesus se atirar a Soares Dias após o encontro, o clube acusou o juiz de "dualidade de critérios em matéria disciplinar" e de não conseguir "ser imparcial" nos clássicos. "Desejamos a Artur Soares Dias as maiores felicidades no Campeonato da Europa, mas se não consegue ser imparcial e se se sente condicionado a apitar jogos do Benfica diante do FC Porto, à imagem do que aconteceu ontem e no passado, iniba-se desse encargo", escreveu o clube na newsletter diária não assinada no site oficial do Benfica,

Tal como Jesus já tinha referido após o clássico, o clube da Luz não entende porque Pepe não foi expulso. "Um segundo amarelo perdoado aos 80 minutos a Pepe, seguido de uma anulação de uma jogada de golo. Uma dupla penalização para o Benfica, com influência no resultado. Nem amarelo, nem jogada de golo, quando já antes, em situações similares, o árbitro tinha deixado prosseguir a marcação da falta", acusam, acrescentando: "A ausência de segundo amarelo é ainda mais incompreensível se tivermos em conta o lance da admoestação imposta a Weigl, na primeira parte."

Estes comentários levaram entretanto a Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol a apresentar várias queixas ao Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) contra o Benfica. E ainda a Jorge Jesus e aos jogadores Grimaldo e Otamendi.

As criticas benfiquistas contra a arbitragem começaram logo após o apito final do clássico. Otamendi e Grimaldo usaram o Twitter para caracterizar o trabalho da equipa de arbitragem de "vergonhoso" e Jesus apontou o dedo ao árbitro, que tinha elogiado na véspera, na flash interview da BTV e na sala de Imprensa. O treinador considerou que a arbitragem "teve influência no resultado".

O árbitro do Porto foi ameaçado e teve proteção policial nos dias que antecederam o Benfica-FC Porto, mas até à hora de fecho desta edição não tinha sido reportado qualquer incidente.

Soares Dias bom ou mau?

Quando na antevisão do jogo com o FC Porto o questionaram sobre a nomeação de Soares Dias, Jesus respondeu assim: "É um dos bons árbitros que temos. É um grande árbitro, não só em altura, ele tem qualidade. Há três, quatro ou cinco árbitros que podiam arbitrar este jogo sem problemas nenhuns. E o Artur Soares Dias é um deles."

Isto depois de no dia 29 ter pedido aos árbitros para terem mais autoridade e assumi-la para evitar as cenas que resultam na expulsão de treinadores e de pessoas no banco: "O árbitro, hoje, não tem autoridade nenhuma, porque não quer. Porque ele tem autoridade, mas não se quer assumir. Tem de se assumir, tem de se fazer uma reciclagem com quem de direito na arbitragem para dizer: têm autoridade para impor as regras do jogo. E quem não quer, vai para a rua. Tão fácil como isto."

Em fevereiro, quase um mês depois do empate no Dragão (1-1), na primeira volta do campeonato, Luís Filipe Vieira condenou a "dualidade de critérios" de Artur Soares Dias no clássico, reiterando a necessidade de haver árbitros estrangeiros nas partidas que envolvem os candidatos ao título.

"Há aqueles que são mais descarados, há aqueles que não são mais descarados. Imaginemos o penálti que foi marcado contra o Benfica marcado contra o FC Porto, acha que a pastelaria do senhor Soares Dias, hoje, estava aberta, no Porto? Não estava, de certeza absoluta. É só este ambiente que se vive no futebol. E eu estou dentro dele, sei o que se está a passar", disse na altura o presidente benfiquista.

A indignação benfiquista parece ser mais pelo acumulado do trabalho do árbitro nos duelos da equipa da Luz com os portistas. O Benfica-FC Porto de quinta-feira foi o 20.º jogo entre grandes do futebol português apitado por Soares Dias e o nono clássico, num registo que é claramente favorável aos portistas, com cinco triunfos, um empate e duas derrotas.

Desses nove jogos, sete foram na I Liga, três dos quais no Estádio da Luz, com o FC Porto a vencer em 2014 (2-0), poucos dias após a morte de Eusébio, em 2015-16 (2-1) e 2017-18 (1-0).

Esta época registou-se um empate (1-1), que compromete mais as ambições do Benfica na luta pelos milhões do segundo lugar e respetiva entrada direta na Liga dos Campeões.

isaura.almeida@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG