"Podiam ter chamado os onze para o controlo antidoping"

Jorge Luis Pinto responde à FIFA, vincando não ter receio de que os seus pupilos façam análises após as partidas do Mundial 2014.

O selecionador da Costa Rica afirmou este domingo que não receia análises antidoping e que a FIFA até poderia ter controlado todos os seus jogadores e equipa técnica após a vitória sobre a Itália, na sexta-feira.

Após o jogo de sexta-feira, da segunda jornada do Grupo D do Mundial 2014, que a Costa Rica ganhou por 1-0, sete jogadores da seleção sul-americana foram chamados para o controlo, enquanto que do lado da Itália apenas compareceram dois.

O episódio levantou polémica e a FIFA explicou entretanto, através da rede social Twitter, que dois dos jogadores costa-riquenhos passaram pelo controlo habitual que se segue a cada jogo, enquanto os outros cinco foram chamados para análises que estavam agendados previamente e que não tinham sido feitas.

"Podiam ter chamado os onze e se quisessem podiam ter levado o treinador e o médico também. Estamos tranquilos e não há problema, mas espero que o façam também com todas as equipas", declarou o selecionador da Costa Rica, o colombiano Jorge Luis Pinto, ao portal brasileiro Globoesporte.

Passaram pelo controlo antidoping o capitão da Costa Rica Bryan Ruiz, autor do golo da vitória sobre os italianos, Michel Barrantes, o guarda-redes Keylor Navas, Celso Borges, Christian Bolaños, Marco Ureña e Diego Calvo.

"Nós corremos. Se os outros não correm é problema deles. A nossa equipa está pronta para correr e jogar futebol durante os noventa minutos", acrescentou o técnico.

A vitória da Costa Rica sobre a Itália apurou a seleção sul-americana para os oitavos de final e eliminou automaticamente a Inglaterra. Itália e Uruguai disputam o segundo e último lugar de apuramento no grupo D.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG