Andebol. Portugal vence França e vai aos Jogos Olímpicos de Tóquio

Seleção estava obrigada a vencer para conseguir o feito inédito. Vitória foi alcançada com golo no último segundo.

A seleção portuguesa de andebol alcançou hoje o feito inédito de se qualificar para os Jogos Olímpicos, ao ganhar por 29-28 à anfitriã França, em Montpellier, com um golo no último segundo do jogo por Rui Silva.

Numa partida em que estava obrigado a vencer os vice-campeões olímpicos para garantir o apuramento, Portugal entrou mal, esteve a perder por seis golos, aos 7-2 e 9-3, mas recuperou e validou a sofrida qualificação para Tóquio2020 no último segundo.

'Por Portugal e por ti', numa referência ao malogrado Alfredo Quintana, que morreu em 26 de fevereiro na sequência de uma paragem cardiorrespiratória, foi o lema que orientou os 'heróis do mar' na superação de todas as adversidades.

Sem poder contar com o central Miguel Martons, por lesão, para o jogo decisivo, a seleção lusa entrou algum ansiosa e isso refletiu-se em particular nas ações defensivas, que desequilibraram o marcador em favor dos gauleses.

A perder por 9-3, com tudo a correr mal para Portugal e tudo a correr bem para a França, a seleção portuguesa começou a rever a derrota por 32-23 sofrida no Mundial2020 e a ver esfumar-se o sonho de marcar presença pela primeira vez nos Jogos Olímpicos.

Com o decorrer do jogo, Portugal começou a acertar na coesão defensiva, onde uma vez mais estiveram bem os guarda-redes Gustavo Capdeville e Manuel Gaspar, e aos poucos diminuiu a desvantagem, que ao intervalo era apenas de um golo (12-13).

Após António Areia ter empatado pela primeira vez aos 13-13, no reatamento da partida, o encontro conheceu empates sucessivos, muito por culpa da boa atuação lusa no aspeto defensivo e no recurso ao uso eficaz ofensivo do sete contra seis.

Portugal passou para a frente do encontro pela primeira vez aos 18-17, com dois golos seguidos de André Gomes, que marcou cinco, mas a vantagem foi revertida de imediato pelos franceses, que empataram a 18-18 e passaram para a frente aos 19-18.

Seguiram-se igualdades sucessivas até aos 23-23, altura em que a França abriu vantagem para dois golos (25-23), o que, dada a proximidade do final do encontro, deixava a seleção portuguesa a ter que arriscar ainda mais para não deixar fugir o seu adversário.

A França aumentou a diferença para três golos aos 28-25, após um remate à trave de André Gomes, mas a seleção portuguesa acreditou sempre até ao fim e conseguiu ir buscar o apuramento com um parcial de quatro golos seguidos, dois dos quais nos últimos segundos.

Uma interceção de bola nos segundos finais da partida, perante uma desorientada seleção gaulesa, permitiu ao central Rui Silva arrancar para o golo decisivo (29-28), que colocou Portugal nos Jogos Olímpicos Tóquio2020.

António Areia, com seis golos, e André Gomes, com cinco, foram os melhores marcadores da seleção portuguesa, enquanto que na gaulesa o destaque pertenceu a Hugo Descat, com seis.

Portugal e França são as seleções do segundo torneio pré-olímpico que avançam para Tóquio2020, cabendo ao andebol nacional o papel de ser a única modalidade coletiva a marcar presença nos próximos Jogos Olímpicos.

Os "parabéns" de Costa e o "obrigado" do secretário do Desporto

O primeiro-ministro, António Costa, felicitou a seleção de andebol de Portugal, pela qualificação para os Jogos Olímpicos. "Parabéns à seleção nacional de andebol que hoje garantiu um lugar inédito nos Jogos Olímpicos. Portugal reforça assim a sua presença nos próximos Jogos. Acompanharemos com orgulho todos os nossos atletas", escreveu o primeiro-ministro, na rede social Twitter.

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, agradeceu à seleção masculina de andebol de Portugal, que carimbou a passagem aos Jogos Olímpicos Tóquio2020, adiados para este verão.

Como legenda de um vídeo dos últimos segundos da partida com a França, ganha por 29-28, na qual ficou garantida a vaga na capital japonesa, Rebelo reconheceu a "forma brilhante" como foi conseguido o apuramento.

"O que dizer deste momento com que a nossa Seleção de Andebol nos brinda, os heróis do mar, que acabam de se qualificar de forma brilhante para os Jogos Olímpicos? Com Quintana no coração, só posso dizer obrigado", escreveu, na rede social Twitter.

Marcelo celebra "a vitória póstuma de Quintana"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou este domingo à noite a seleção masculina de andebol de Portugal pela qualificação para os Jogos Olímpicos Tóquio2020, adiados para este verão, considerando-a "a vitória póstuma de Quintana".

Numa nota publicada no 'site' da Presidência, o Presidente da República destaca "a dedicação e empenho de todos os jogadores", felicitando também a equipa técnica e a Federação de Andebol de Portugal.

54 atletas apurados

A 'armada' lusa 'carimbou' o passaporte para a capital japonesa, elevando para 54 o número de atletas apurados, uma vez que serão convocados 14 andebolistas para representar Portugal na prova.

O apuramento garante ainda a presença numa modalidade coletiva em Tóquio2020, a única que ainda podia conseguir esta qualificação, lograda após vencer a Tunísia (34-27) no primeiro jogo e perder ante a Croácia (25-24) no sábado.

Antes, na sexta-feira, os velejadores Diogo Costa e Pedro Costa tinham garantido a entrada na competição de 470. Diogo Costa, de 24 anos, e Pedro Costa, de 26, naturais do Porto e formados em engenharia civil, juntaram-se à embarcação de 49er, vaga garantida por Jorge Lima e José Costa, os primeiros a assegurar uma presença portuguesa nos Jogos, garantindo a quota (não obrigatoriamente ocupada pela dupla).

Com 10 atletas qualificados, o atletismo é a modalidade não coletiva com mais vagas asseguradas para as competições que vão decorrer na capital japonesa, entre 23 de julho a 08 de agosto de 2021.

Pedro Pablo Pichardo e Patrícia Mamona, que se sagraram recentemente campeões europeus em pista coberta, têm presença assegurada no concurso do triplo salto, tal como Evelise Veiga, enquanto Auriol Dongmo, igualmente campeã continental em pista coberta, vai participar no lançamento do peso.

Os também lançadores Francisco Belo, no peso, e Liliana Cá, no disco, vão estrear-se em Jogos, enquanto João Vieira, aos 43 anos, tem marca de qualificação nos 50 km marcha e deverá estar pela sexta vez em Jogos, tornando-se no segundo luso com mais presenças, a uma do velejador João Rodrigues.

A comitiva do atletismo já conta também com as maratonistas Carla Salomé Rocha e Sara Catarina Ribeiro e com a marchadora Ana Cabecinha.

Maria Martins vai estrear o ciclismo de pista como disciplina olímpica para Portugal, depois de se ter qualificado através do 'ranking' de omnium.

No ciclismo de estrada, Portugal vai ter duas vagas em Tóquio, por via do 23.º lugar no 'ranking' olímpico, que dá a Portugal o direito a ter dois ciclistas na prova de fundo, um dos quais com entrada para o contrarrelógio. O oitavo lugar de Nelson Oliveira no contrarrelógio dos Mundiais de 2019 permite a Portugal ter pela primeira vez dois ciclistas no 'crono' em Jogos Olímpicos.

Na canoagem, seis atletas garantiram a qualificação nos Mundiais de velocidade de 2019, entre os quais Fernando Pimenta, medalha de bronze em K1 1.000 metros em Szeged, na Hungria. O K4 1.000 metros, composto por Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista e David Varela, e Teresa Portela (K1 200) também já têm presença em Tóquio, tal como Antoine Launay (K1) no slalom.

Também a natação já tem cinco atletas com mínimos, com Alexis Santos, semifinalista no Rio2016, e Gabriel Lopes nos 200 metros estilos, Tamila Holub e Diana Durães nos 1.500 livres, e Ana Catarina Monteiro nos 200 mariposa.

No equestre são já quatro as vagas asseguradas, com Luciana Diniz, nona no Rio2016, a garantir a presença na prova de obstáculos, ainda não sendo oficial que será a luso-brasileira a viajar para Tóquio. Antes, já estavam assegurados três atletas na equipa de ensino, com a vaga conquistada por Maria Caetano, Rodrigo Torres, João Miguel Torrão e Duarte Nogueira no Europeu.

Portugal vai estar também representado no ténis de mesa, através da equipa masculina, que venceu o seu grupo no torneio de qualificação olímpica. Em Gondomar, os já olímpicos Marcos Freitas, Tiago Apolónia e João Monteiro asseguraram nova presença na prova de equipas, na qual no Rio2016 foram eliminados na primeira ronda pela Áustria.

A qualificação da equipa garante também a vaga para dois portugueses na prova individual. Em 2016, Marcos Freitas, que caiu nos quartos de final, e Tiago Apolónia, eliminado na terceira ronda, foram os representantes lusos.

Fu Yu já tinha assegurado a presença no torneio feminino de ténis de mesa, graças à presença na final dos Jogos Europeus.

De regresso aos Jogos Olímpicos estará o tiro com armas de caça, com João Paulo Azevedo no fosso olímpico.

Em estreia, estará o surf, com Frederico Morais, por ter sido o melhor atleta europeu nos Mundiais de 2019, enquanto Filipa Martins repete a presença na ginástica artística.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 realizam-se de 23 de julho a 08 de agosto de 2021.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG