A volta ao mundo em 80 dias: Yannic Bestaven vence Vendée Globe

Os primeiros da Vendée Globe, regata de volta ao mundo solitária sem paragens nem assistência, já chegaram a Les Sables d'Olonne, França.

O francês Yannick Bestaven, a bordo do veleiro "Maitre Coq IV", venceu a 9ª edição da Vendée Globe, regata solitária de volta ao mundo sem escalas nem assistência. Bestaven completou a circumnavegação - com partida e chegada a Les Sables d'Olonnes, na costa atlântica francesa - com o tempo total de 80 dias, 13 horas e 59 minutos e 46 segundos.

Após 28 584 milhas náuticas (52,9 mil quilómetros), o "Maitre Coq IV" foi o terceiro veleiro a cruzar a linha de meta em Les Sables d'Olonne, França. Bestaven Viu porém ser-lhe descontado o tempo que gastou em 30 de novembro quando esteve envolvido no resgate de Kevin Escoffier, totalizando 80 dias, três horas, 44 minutos e 46 segundos (ver vídeo).

O "Apivia", de Charlie Dalín foi o primeiro a cortar a linha da meta, na quarta-feira à noite, mas foi relegado para a segunda posição da classificação geral, a mais de duas horas do vencedor.

Na 3ª posição da classificação final ficou o "Bureau Vallée 2", do skipper' Louis Burton, que contabilizou o tempo total de 80 dias, 10 horas e 25 minutos.

Em 4º lugar ficou o veterano francês Jean Le Cam, de 61 anos, que fez a sua quinta Vendée Globe. Tripulando o "Yes We Cam" - barco com mais de dez anos, que o skipper define com uma Renault 4 L dos mares -, Jean Le Cam protagonizou o episódio mais memorável desta regata: o salvamento, no Atlântico Sul, de um outro skipper concorrente, Kevin Escofier.

Tripulando o "PRB", Escoffier viu o seu barco partir-se literalmente ao meio quando "aterrou" de uma vaga, afundando-se logo de seguida. O velejador só teve tempo para se atirar para o mar dentro de uma balsa salva vidas, enquanto o PRB se afundava.

À deriva no Atlântico sul durante horas, Escoffier acabou por ser resgatado por Jean Le Cam. Os dois navegaram no "Yes We Cam" durante dias, até que, já no Indico Sul, Escoffier foi transferido para um navio da Marinha francesa.

O alemão Boris Herrmann, no "Seaexplorer-Yacht Club do Monaco", que ocupava a 3ª posição da geral, protagonizou o episódio do dia ao chocar com um barco de pesca a 80 milhas (148 quilómetros) da linha de chegada, quando navegava a uma média de 20 nós (38 km/hora).

O choque causou danos no barco e o alemão foi obrigado a baixar a velocidade para sete nós (12 km/hora), acabando por terminar na 5ª posição (80 dias, 14 horas, 59 minutos e 45 segundos).

Thomas Ruyant ("LinkedOut") ficou em 6º (80d 15h 22m 1s), Damien Seguin ("Groupe Apicil) em 7º (80d 21h 58m 20s), Giancarlo Pedote ("Prysmian Group") em 8º (80d 22h 42m 20s) e Benjamin Dutreux ("Omia - Water Family") em 9º ( 81d 19h 45m 20s).

Estes são os nove skippers que já terminaram a regata. Outros 16 ainda estão no mar, a caminho de Les Sables d'Olonne. Oito desistiram, entre os quais aquele que se apresentava como o principal favorito à vitória final, o britânico Alex Thomson, a bordo do "Hugo Boss".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG