A Maratona são 42 195 metros e no fim ganha o Quénia

A queniana Peres Jepchirchir venceu a medalha de ouro na Maratona feminina dos Jogos Olímpicos de Tóquio com um tempo de 2:27:20. Uma maratona dominada pelo calor, humidade e pelas atletas africanas com uma norte-americana no meio da discussão das medalhas. A melhor portuguesa, Salomé Rocha, ficou em 30º lugar.

A prova que se realizou na cidade de Sapporo para evitar as temperaturas e a humidade elevadas que se fazem sentir em Tóquio - que fica 1100 quilómetros a sul - teve temperaturas altas para a prática da modalidade - às 6h locais já a cidade tinha 27 graus e 77% de humidade. E foi esse um dos principais obstáculos das atletas que levou a desistências de 15 atletas (num total de 88), entre as quais a portuguesa Sara Moreira, 35 anos, que desmaiou ao 24º quilómetro e teve que ser assistida em prova quando estava na 75ª posição.

A melhor portuguesa foi Carla Salomé Rocha, de 31 anos, no 30º lugar com 2:34:52 a sete minutos e 32 segundos da vencedora da prova, a queniana Peres Jepchirchir. A segunda melhor portuguesa em prova foi Sara Catarina Ribeiro, 31 anos, que completou a prova em 2:55:01, tendo ficado na 70ª posição da geral.

Aos 33 quilómetros, tudo mudou

E pelos 33 quilómetros a corrida mudou completamente e o conjunto compacto de maratonistas - que englobava quenianas, japonesas e norte-americanas, uma israelita, uma atelta do Bahreim e até um suíça e uma alemã- deixou de estar junto, tendo as africanas, do Quénia, comandado a prova prova até final, em conjunto com a norte-americana, Molly Seidel - a "surpresa" da prova que conquistou a medalha de bronze com 2:27:46.

A medalha de prata foi para a também queniana Brigid Kosgei com 2:27:36.

A melhor atleta europeia foi para a atleta da Bielorrusia Mazuronak no quinto lugar, com mais 1 minuto e 46 segundos que a vencedora.

A portuguesa Sara Moreira, em declarações à agência Lusa disse que "não sei o que aconteceu. Lembro-me de ter passado a meia maratona, porque por volta dos 18 quilómetros parei para ir à casa de banho, mas, depois, comecei a correr e caí para o lado, não me lembro de nada", disse a atleta natural de Santo Tirso.

"Agora estou bem, na medida do possível. Sei que passei os 21 quilómetros, mas não sei quando caí", desabafou a maratonista, de 35 anos, que, nessa altura, seguia no 75.º lugar, a 03.27 minutos do grupo de 12 atletas que liderava a prova.

Nas anteriores participações olímpicas, Salomé Rocha foi 26.ª classificada nos 10.000 metros no jogos do Rio de Janeiro em 2016 e Sara Moreira, além da desistência na maratona do Rio2016, foi 14.ª nos 10.000 metros em Londres 2012 e 22.ª nos 3.000 metros obstáculos em Pequim 2008.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG