A incrível história de Wendell Lira

O vencedor do prémio Puskas 2015 é agora um dos melhores jogadores do mundo de videojogos

Wendell Lira foi um promissor futebolista brasileiro que não passou disso mesmo e, esta quarta-feira no Football Talks 2017, contou a sua história incrível, que o levou hoje a ser um craque nos videojogos, nomeadamente no FIFA.

O brasileiro contou tudo na primeira pessoa, com a alegria típica de quem atravessou um calvário e agora está a cumprir um sonho. "Eu vivi os dois lados do sonho de um futebolista. Aos 15 anos estava no Goiás ao lado de grandes jogadores, tornei-me uma das revelações do futebol brasileiro. Pensei que estava lançado na carreira para dar uma vida melhor à minha família, de origens humildes", começou por contar.

As lesões acabaram por lhe cortar esse sonho. "Em 2016 fui artilheiro, com o Alexandre Pato, de um campeonato de jovens e melhor jogador desse torneio. Diziam que era o novo Robinho e, aos 17 anos, surgiu até uma proposta do AC Milan de dois milhões de euros. Só que o clube tinha vendido um jogador e não aceitou a minha saída. Perdi a oportunidade da minha vida."

O pior veio depois. "Duas semanas depois de terem recusado a proposta do Milan, lesionei-me gravemente com uma rotura de ligamentos, com um problema de cartilagem associado. Estive um ano e sete meses lesionado, o que fez toda a diferença. O Goiás desconfiou que eu pudesse voltar a jogar a alto nível. Fui por isso emprestado ao Fortaleza da Série C. Voltei depois ao Goiás, mas uma nova lesão nos ligamentos cruzados fez com que parasse mais dez meses. Estava em final de contrato e o clube me dispensou."

Na altura, teve o apoio da família, mas durante quatro meses esteve desempregado e sem propostas para voltar a jogar. "Era muito novo e não desisti." O telefone acabou por tocar e andou por clubes de menor dimensão com salários muito baixos... ainda assim foi nas divisões secundárias onde foi "mais feliz".

Foi num desses pequenos emblemas, o Goianésia que fez o golo que encantou o mundo. "Estavam 342 pessoas no estádio. Era um jogo da quarta divisão brasileira. Pensei que era um bonito golo, mas apenas mais um." E tinha sido, porque acabou dispensado do clube. Sem perspetivas no futebol, foi trabalhar no snack-bar da mãe. Servia ao balcão. "Era um sucesso porque toda a gente ia lá só para me ver, afinal o meu golo se tornara famoso. Foi de tal forma que foi criada uma corrente na internet para promover o golo. Um dia, estava a almoçar, ligaram-me a dizer que estava nomeado para o melhor golo da FIFA, o Prémio Puskas, com o Messi e o Tévez. E perguntei: Só com esses? Claro que não acreditei."

Acabou por viajar para a Suíça, onde mais do que tudo cumpriu um sonho. "Queria conhecer o Cristiano Ronaldo. Foi incrível. Antes da gala estava muito nervoso e me convidaram para jogar FIFA com o campeão do mundo, um saudita, para descontrair. Não queria ir porque achava que ia ser humilhado, mas acabei por aceitar... ganhei 6-1." Mal sabia que seria o momento que mudaria a sua vida.

Quando regressou ao Brasil, com o Prémio Puskas na mão, assinou pelo Vila Nova, outro modesto clube brasileiro, mas a aventura mal começara e já os dirigentes o dispensaram. Foi então que surgiu um novo telefonema. "Uma pessoa ligou-me do Rio Grande do Sul. Dizia que queria que eu me tornasse youtuber de videojogos, aproveitando a minha fama por ter ganho o Puskas. Como já não tinha esperanças no futebol por causa das lesões, aceitei o desafio porque esse era um mundo que estava a evoluir e a movimentar cada vez mais dinheiro."

Um ano depois da Gala da FIFA onde conheceu o ídolo Cristiano Ronaldo, tornou-se profissional dos videojogos e um dos melhores jogadores do mundo de FIFA, que em breve irá disputar o título mundial. Wendell Lira tem 28 anos e prova que há mais vida para além do sonho do futebol.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG