Seria este o rosto do pintor Rafael?

"A análise do molde de gesso do crânio de Rafael (1483-1520), realizada em 1833 [quando a sepultura do artista foi aberta], permitiu reconstituir ao rosto em 3D do mestre renascentista", que morreu aos 37 anos em Roma, onde está enterrado sob a cúpula do Panteão.

Uma equipa da Universidade de Roma conseguiu reconstituir o rosto do famoso pintor Rafael em 3D a partir de um molde de gesso do crânio, anunciou em comunicado nesta quinta-feira, confirmando ainda mais a autenticidade dos seus restos mortais conservados no Panteão.

"A análise do molde de gesso do crânio de Rafael (1483-1520), realizada em 1833 [quando a sepultura do artista foi aberta], permitiu reconstituir ao rosto em 3D do mestre renascentista", que morreu aos 37 anos em Roma, onde está enterrado sob a cúpula do Panteão.

Durante séculos, houve dúvidas recorrentes sobre a autenticidade dos restos mortais do pintor.

"Até agora, não tínhamos certezas de que os restos encontrados e conservados no Panteão eram os de Rafael", lembra a professora Mattia Falconi, especialista em biologia molecular na Universidade de Roma. "A reconstrução facial é uma técnica interdisciplinar que pode recriar, com base exclusivamente na morfologia do crânio, o rosto de uma pessoa no momento da morte", explica Cristina Martinez-Labarga, professora de antropologia forense, e o professor Raoul Carbone, artista gráfico 3D aplicado à ciência forense.

Este trabalho estabeleceu "pela primeira vez" que "os restos conservados no túmulo do Panteão pertencem ao artista renascentista, que este ano comemora o 500.º aniversário da sua morte", explicou o departamento de biologia da Universidade Tor Vergata, em Roma, que fez comparações com os autorretratos do pintor.

Durante a investigação, muitas outras sepulturas foram encontradas perto da do pintor, como as de alguns dos seus alunos, bem como inúmeras partes de esqueletos.

Essas investigações também "pavimentam o caminho para futuros estudos sobre restos esqueléticos, visando determinar [...] algumas características do personagem ligado ao seu DNA", como olhos, cabelos ou cor da pele.

"O artigo científico completo sobre reconstrução facial 3D será proposto para publicação na revista [científica] Nature num futuro próximo", segundo o comunicado, e uma impressão em 3D do busto de Rafael será exibida permanentemente no museu na sua cidade natal de Urbino, na Úmbria.

Mais Notícias