Ronnie Spector, a bad girl original do rock'n'roll', morreu aos 78 anos

Cantora do grupo The Ronettes, cujos êxitos marcaram uma geração na década de 1960

Ronnie Spector, a cantora de rock com olhos de gato que se destacou com o grupo feminino The Ronettes, na década de 1960 - cujos sucessos marcaram uma geração e incluíram o clássico "Be My Baby" -, morreu nesta quarta-feira (12) aos 78 anos.

"O nosso amado anjo na Terra, Ronnie, deixou este mundo em paz, hoje, depois de uma breve batalha contra o cancro", informou a sua família em comunicado.

"Ronnie viveu a sua vida com um brilho nos olhos, uma atitude corajosa, um rebuscado senso de humor e um sorriso no rosto", acrescenta.

Veronica Greenfield nasceu no Harlem hispânico, em Nova Iorque, em 10 de agosto de 1943. Era filha de mãe afro-americana e cherokee e de pai irlandês-americano. Formou as The Ronettes com a sua irmã, Estelle Bennett, e a prima Nedra Talley, conquistando uma legião de fãs com as suas comoventes canções de amor juvenil, antes de assinar em 1963 com o lendário produtor Phil Spector, com quem se casou em seguida.

Com os seus olhos vampirescos e pálpebras pesadas, penteados altíssimos e saias acima dos joelhos, as Ronettes lançaram uma série de sucessos durante o seu apogeu, no começo da década de 1960, inclusive "Baby, I Love You" e "(The Best Part of) Breakin' Up", além de "Be My Baby", canção que em 1999 foi incluída no Hall da Fama dos Grammy.

Juntamente com as Supremes, as Ronettes estavam entre os principais grupos da época e o único de mulheres a fazer uma tournée com os Beatles, abrindo os concertos do grupo de Liverpool em 1966.

Ao incluir o trio no Hall da Fama do Rock and Roll em 2007, Keith Richards, dos The Rolling Stones, lembrou ter feito algumas aberturas de concertos das Ronettes na década de 1960. "Não precisavam de nada. Conquistaram o meu coração ali mesmo e ainda o tocam", disse Richards.
As Ronettes separaram-se em 1967, depois de uma digressão pela Europa.
Em 1968, Ronnie, conhecida como a bad girl original do rock'n'roll, casou-se com Phil Spector, o rei dos produtores de rock, que em 2009 foi preso por homicídio.

O casal divorciou-se em 1974 e, na sua autobiografia, a cantora relatou anos de comportamento terrivelmente abusivo por parte do seu ex-marido.

Após a ruptura das Ronettes, Spector continuou uma carreira solo, que incluiu uma série de colaborações com artistas como Eddie Money e a E Street Band, de Bruce Springsteen.

Em 2006 lançou "Last of the Rock Stars", um álbum que incluía colaborações de Keith Richards e Patti Smith. "Era cheia de amor e gratidão", diz o comunicado da família. "O seu som alegre, a sua natureza brincalhona e presença mágica vão viver em todos os que a conheceram, ouviram ou viram".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG