Reaberta investigação ao ator Gérard Depardieu por suspeita de violação

A queixa foi apresentada em agosto de 2018 por uma jovem atriz e bailarina, que acusava o ator, de 71 anos, de ter cometido abusos sexuais em duas ocasiões.

A investigação judicial ao ator francês Gérard Depardieu por suspeitas de violação sexual vai ser reaberta, revelou nesta quarta-feira a France-Presse.

De acordo com a agência noticiosa, um juiz de instrução de Paris decidiu reabrir as investigações, dando seguimento a um recurso apresentado pela mulher que em 2018 fez queixa contra o ator.

A queixa foi apresentada em agosto de 2018 por uma jovem atriz e bailarina, que acusava o ator, de 71 anos, de ter cometido abusos sexuais (agressão e violação) em duas ocasiões, em Paris, nos dias 7 e 13 de agosto daquele ano.

Segundo o jornal Le Parisien, a atriz e Depardieu já se conheciam, e um dos atos terá acontecido à margem de um ensaio informal de uma peça de teatro.

Em junho de 2019, o Ministério Público francês concluiu a investigação preliminar alegando que esta "não permitiu caracterizar os delitos denunciados em todos os seus elementos constitutivos", mas a vítima apresentou recurso e foi agora decidida a reabertura do processo.

Em 2018, através do advogado, Gérard Depardieu negou "categoricamente qualquer agressão sexual e violação".

Nesta quarta-feira, a defesa do ator francês classificou a reabertura do processo como "um não acontecimento".

Outras figuras da cultura francesa foram recentemente alvo de investigações, como o ator Philippe Caubère, por suspeita de violação de uma atriz e antiga militante do movimento Femen, ou o realizador Luc Besson, também alvo de uma denúncia de violação de uma manequim num hotel em Paris.

Mais Notícias