O meu robô é mais social que o teu

Jean-Phillipe Wine e Sarah Smith realizam Ron dá Erro, uma distopia social com carimbo da Disney sobre um modelo de robôs para dar popularidade aos miúdos nas redes sociais. Um filme que vem com defeito de fabrico...

A Disney, depois de ficar com a Fox, também na animação começa a encontrar alguns desafios. Ron's Gone Wrong é um dos projetos ainda desenvolvidos antes da aquisição e corresponde a um esforço de cinema de animação dentro de uma outra lógica em sintonia com as pretensões da Fox. Agora, sobretudo com a ajuda de muito marketing, houve que inventar uma roupagem para o vender como uma longa-metragem com o espírito Disney. Na verdade, o espírito não aparece com um estalar de dedos, embora o filme esteja em sintonia com o que os estúdios de Hollywood têm vindo a fazer neste campo: objetos muito idênticos com humor formatado e uma aplicação de ruído excessiva.

Na essência, este é um conto de liceu americano. A história de um rapaz órfão de mãe, Barney, cujo sonho é ter um robô igual ao modelo que todos os colegas têm. Barney não consegue arranjar amigos e um desses modelos que ajuda qualquer a um a ter muitos likes nas redes sociais é tudo o que precisa para a sua vida mudar na escola. Depois de muita insistência, o pai e a avó arranjam-lhe um desses melhores amigos saídos da caixa, o problema é que vem com defeito. O robô fica baptizado de Ron e cedo torna ainda a vida de Barney num caos maior. Após sarilhos em catadupa, Ron e Barney, de uma forma estranha, acabam por se completarem. Ron, ao contrário dos outros robôs, é espontâneo e quer antes de mais ajudar Barney, que aos poucos começa a chamar a atenção sobre si na secundária.

O problema desta comédia com o tal modelo de liceu americano é dar a sensação de que tudo é dejá-vu, sejam as parecenças com Wall.e ou o acumular de efeitos daquilo que se pode esperar dentro do campo da narrativa do menino "diferente" numa escola onde todos são iguais. Claro que as mensagens de alerta sobre a cultura ciber vigente das redes sociais estão certas. Ron e Barney provam que milhares de likes podem não servir para nada se a amizade não for para ajudar quem é menos popular e que as químicas entre amigos não têm de ser sempre compatíveis com os mesmos gostos. Temos até alguns planos em que se sugere que os miúdos americanos vivem numa realidade virtual, tal qual uma manada cega e aí não deixa de haver uma ideia de cinema, mesmo quando é pouco subtil. Aliás, para que algo seja evidente tudo parece explicado de forma explícita. Depois, para entrar o humor, surge um dispositivo algo frenético em que a rapidez (sempre exagerada) de informação parece dominar a narrativa. Nesse aspeto, Ron Dá Erro é disparatadamente palavroso e explicativo, cheio de personagens secundárias que querem ser o "alívio cómico" mas que apenas são irritantes para todos os que não são adolescentes.

Quanto ao chamado look, os robôs são um bom achado visual e todo o universo de uma sociedade informatizada está bem atraente, mas é daqueles casos em que se sente que falta coração. O coração que é tão milagroso nos filmes da Pixar.

Ron's Gone Wrong tem um ótimo ponto de partida mas uma estrutura de argumento que o afunda na maioria das vezes. Pena.

dnot@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG