"O Dona Maria II é uma casa com História, mas cheia de futuro"

Pedro Penim, nomeado esta quarta-feira, por escolha governamental, como manda a legislação, o novo diretor artístico do Teatro Nacional Dona Maria II, não poupa elogios ao seu antecessor, mas propõe-se deixar uma marca própria.

"Não será um passeio no parque mas sei que vou encontrar uma casa bem arrumada", é assim que Pedro Penim, 46 anos, encara as funções de diretor artístico do Teatro Nacional Dona Maria II (TNDM) para que foi nomeado pela ministra da Cultura, Graça Fonseca. Em declarações ao DN, o encenador (ator, programador e todas as coisas que o palco exige) afirmou "sentir-se honrado e feliz com o convite para assumir a direção de uma casa com tanta história no panorama do Teatro português e, simultaneamente, com tantas valências e possibilidades de futuro." A nomeação, afirma, não poderia chegar em melhor altura: "Sinto a responsabilidade, como não podia deixar de ser, mas não tenho medo. Na verdade, sinto-me perfeitamente capacitado para as funções e para dar a melhor continuidade à excelente herança que me é deixada pelo Tiago Rodrigues. Acho que é a melhor altura da vida para isto me acontecer."

Pedro Penim conhece bem os cantos à casa, já que ali trabalhou em vários projetos, e diz que os próximos meses serão sobretudo para ouvir o que as pessoas do TNDM (incluindo antigos diretores artísticos) e do próprio meio teatral têm para dizer, até porque um teatro nacional não é exatamente um teatro como os outros.... "A programação delineada pelo Tiago, que aliás ainda a apresentará ao público a 2 de setembro, correrá conforme previsto e só então aparecerá a minha, que será obviamente diferente. Quero dar sequência a tudo o que de muito bom ele deixa, mas somos pessoas diferentes e, como tal, temos outras ideias, projetos e uma visão artística diversa. De resto, vou trabalhar com pessoas de grande qualidade, empenhadas em fazer sempre o melhor por aquela casa, o que é reconfortante."

O nome escolhido parece, aliás, agradar também à administração do teatro. Para Cláudia Belchior, presidente do Conselho de administração, "esta escolha é o reconhecimento do notável e diversificado percurso artístico que Pedro Penim desenvolve há mais de duas décadas. É com enorme expectativa e entusiasmo que começaremos a trabalhar em conjunto na materialização da sua visão artística para o futuro deste teatro". Recorde-se que Tiago Rodrigues, na direção artística do TNDM desde 2015, assumirá em breve a direção do Festival de Teatro d"Avignon, conforme anunciou no princípio de julho, a ministra francesa da Cultura, Roselyne Bachelot, depois de O Cerejal , de Tchekov (com Isabelle Huppert como protagonista e encenação de Tiago) ter aberto a edição deste ano.

Pedro Penim assume apreciar desafios, desde cedo. A notícia da nomeação e a necessidade de acorrer às solicitações daí decorrentes interrompe-lhe um pouco o normal progresso dos ensaios da peça "Pais & Filhos", de que é encenador, autor e também ator (ao lado de Rita Blanco, Ana Tang, Bernardo de Lacerda, David Costa, Diogo Bento, Hugo van der Ding, Joana Barrios e João Abreu), com estreia marcada para 15 de setembro, no Teatro São Luiz. "Ainda tenho texto para decorar", confessa, embora se imagine que o mais difícil esteja feito porque este texto assinado por Pedro é, na verdade, uma reescrita sua de um clássico da literatura russa, o romance Pais e Filhos, de Ivan Turgueniev. "É um desses clássicos tão importantes que acabam por se tornar marcos civilizacionais. É irresistível pegar-lhe e trazê-lo para a atualidade, numa abordagem completamente diferente da imaginada pelo autor."

No princípio do Outono, a sua performance "Doing it" será apresentada em três festivais europeus de teatro: o Dublin Theatre Festival na Irlanda, o Festival Internazionale Del Teatro e Della Scena Contemporanea em Lugano, na Suíça e, finalmente, o Festival Roma Europa, em Itália.

Licenciado em Teatro pela Escola Superior de Teatro e Cinema e com um mestrado em Gestão Cultural pelo ISCTE, fundou em 1995 o coletivo Teatro Praga, que tem dirigido em parceria com José Maria Vieira Mendes, André Teodósio e Cláudia Jardim. É também fundador do espaço cultural Rua das Gaivotas 6 (sede do Teatro Praga), vocacionado para acolher projetos de novos artistas. Entre os seus trabalhos mais recentes contam-se a peça para crianças , MacBad, apresentada no Teatro Lu.Ca - Luís de Camões, em Lisboa, em Junho passado, onde o clássico de Shakespeare, Macbeth, se cruzava com a linguagem dos jogos de computador, e a comédia Perfeitos Desconhecidos (a partir de um texto de Paolo Genovese) que esteve em cena no Teatro Maria Matos. Pedro Penim, que se tornou um rosto bem conhecido do público português quando, no final dos anos 90, apresentou o programa Clube Disney, na RTP, tem do teatro uma visão global já que acumula a encenação e a interpretação com a autoria de texto, a programação, a tradução e o ensino. No seu perfil do facebook, diz ter estudado hebraico, turco e italiano e assume que os lugares muito sossegados não são para ele.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG