Exclusivo Livros. O pior do 25 de Abril e as boas investigações

Finalmente, a investigação sobre dois dos "derivados" mais perigosos do 25 de Abril de 1974: o Conselho da Revolução e as FP-25 de Abril. David Castaño e Maria Inácia Rezola biografam a "instituição" que quis ser a vanguarda militar e controlar a sociedade civil. Nuno Gonçalo Poças trata da ameaça do terror.

A existência do Conselho da Revolução entre 1975 e 1982 é um dos episódios da Revolução dos Cravos que tem sido marginalizada na produção de livros de investigação histórica desde que os profissionais da área se dedicaram a explorar o universo de Portugal pós-25 de Abril. A medo, têm saído vários ensaios sobre alguns dos momentos protagonizados pelos capitães de Abril, mesmo que poucas sejam as suas biografias imparciais e que acrescentem o devido ao escrutínio político, bem como radiografias dos acontecimentos que não sejam breves relatos em vez da dimensão que merecem. E a desculpa de que se estava demasiado perto dos factos só serve para justifica a ausência de interesse em recolher no devido tempo testemunhos que a morte irá proibir.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG