Exclusivo Heroínas e heróis de Cannes

Foram os nomes que marcaram o festival, entre prémios e aclamações. Figuras que funcionaram como lanternas para uma prova de vida de um cinema em mutação, entre revelações e consagrados...

Na última sessão da secção Cannes Premiere o Festival ganhou um herói. Chama-se Dario Argento e aos 81 anos torna-se ator de corpo inteiro em Vortex, depois de uma vida inteira a filmar o horror. É a nova excentricidade de Gaspard Noé, cineasta franco-argentino que desta vez não filma sexo nem violência física. Filma uma outra violência, aquela que diz respeito aos horrores da demência na terceira idade. Filme-experiência sobre esse bafejar invisível da morte e onde além do cineasta de Suspiria há também Françoise Lebrun, mítica atriz de Jean Eustache e do não menos mítico A Mãe e a Puta (1973). Mas é em Dario Argento que todos os olhares estacam, uma presença de uma verdade assustadora.

Da Palma de Ouro justíssima para Titane nasceu também um novo rosto, ou melhor, corpo. É o de Agathe Rousselle, atriz, editora, fotógrafa e manequim. Nos seus olhos está uma intensidade fatal, uma energia nervosa. A perfeição para um papel em que do seu corpo sai óleo em vez de sangue. Sem esta transformação "body horror" o filme de Julia Ducournau seria outro. Rouselle torna-se literalmente numa disrupção monstruosa que é sinal destes tempos de novos corpos...

Mais Notícias

Outras Notícias GMG