Corredor Cultural do Porto já abriu para todos os estudantes do Ensino Superior

O projeto dá acesso gratuito ou com descontos em vários espaços culturais da Área Metropolitana do Porto.

Treze municípios já aderiram ao Corredor Cultural do Porto, iniciativa que garante aos estudantes do Ensino Superior o acesso gratuito ou com descontos a mais de 50 museus, teatros e salas de espetáculo da Área Metropolitana do Porto.

No seu 'site', a Universidade do Porto (U.Porto) esclarece que o projeto, que já está disponível, destina-se aos estudantes do Ensino Superior, de instituições públicas e privadas, de todos os países abrangidos pelos acordos ERASMUS +, incluindo os internacionais (de grau ou mobilidade), e todos os novos estudantes que acabam de ingressar no Ensino Superior.

A iniciativa, que resulta de uma parceria alargada entre a U.Porto, a Câmara Municipal do Porto e instituições de 13 autarquias da Área Metropolitana do Porto (AMP), permite que esses estudantes possam, por exemplo, visitar o Museu de Serralves por metade do preço, assistir a um espetáculo no Teatro Nacional de S. João com um desconto de 50%, explorar gratuitamente os Museus da U.Porto, ou até mesmo o Museu de Arte Sacra de Arouca ou o Museu do Papel, em Santa Maria da Feira.

Fazem parte deste Corredor Cultural do Porto instituições culturais dos municípios do Porto, Arouca, Gondomar, Maia, Oliveira de Azeméis, Póvoa de Varzim, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, São João da Madeira, Vale de Cambra, Vila do Conde, Vila Nova de Famalicão e Vila Nova de Gaia.

Nesta primeira fase, segundo a U.Porto, são já mais de 50 os espaços que estão acessíveis com condições especiais, referindo que, no caso concreto dos seus alunos, basta apresentar o Cartão U.Porto para beneficiarem das mesmas.

O Corredor Cultural do Porto "vem consolidar o compromisso da Universidade do Porto de criar oportunidades iguais para todos os estudantes universitários no acesso às artes, à cultura e ao património", sendo este projeto "apenas o primeiro passo de um projeto muito mais vasto", assegura Fátima Vieira, vice-reitora com o pelouro da Cultura da U.Porto.

"Com o apoio do Ministério da Cultura, estamos a criar um Corredor Cultural Nacional e, com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em coordenação com a Comissão Europeia, queremos desenvolver um Corredor Cultural Europeu", esclarece a vice-reitora.

O lançamento do Corredor Cultural do Porto "pretende assim abrir caminho à concretização de um Corredor Cultural Português, passível de ultrapassar as fronteiras nacionais, com cada universidade a assinalar as estruturas aderentes. No futuro, o objetivo é permitir que todos os estudantes universitários europeus possam, independentemente do país de origem, usufruir de um Corredor Cultural Europeu que inclua museus e salas de espetáculo".

No âmbito desta iniciativa, pretende-se, de acordo com a mesma responsável, que "comunidade e academia trabalhem temas comuns, na construção de valores sociais, ecológicos e de cidadania comuns".

O objetivo é "colocar a Cultura no centro da Universidade e da vida coletiva", daí o compromisso de criar "públicos competentes, capazes de melhor fruírem dos discursos artísticos a que terão acesso", acrescenta Fátima Vieira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG