Bruce Springsteen vende direitos musicais à Sony por 444 milhões de euros

A venda inclui o catálogo de músicas gravadas do cantor, bem como a sua obra como compositor, incluindo sucessos clássicos como Born in the U.S.A.

Bruce Springsteen vendeu os seus direitos musicais à Sony num acordo estimado em 500 milhões de dólares (cerca de 444 milhões de euros, ao câmbio atual), relataram esta quarta-feira a Billboard e o New York Times.

A venda inclui o catálogo de músicas gravadas do cantor, bem como a sua obra como compositor - incluindo sucessos clássicos como Born in the U.S.A. -, contaram fontes próximas do negócio a ambos os meios de comunicação.

No entanto, ainda não foi feito nenhum anúncio oficial. Uma porta-voz do Sony Group não quis comentar o assunto e a Sony Music não respondeu ao pedido de comentário da AFP.

Springsteen será assim a última estrela a supostamente vender o seu catálogo, seguindo os acordos feitos por Bob Dylan, Stevie Nicks e Neil Young para parte ou a totalidade dos seus trabalhos, numa altura em que os direitos musicais dos artistas estão a passar por um boom de compras.

No ano passado, Bob Dylan vendeu o seu catálogo de publicação completo por uma soma relatada de 300 milhões de dólares (cerca de 266 milhões de euros) à Universal Music Publishing Group, enquanto Stevie Nicks do Fleetwood Mac vendeu uma participação maioritária do seu catálogo alegadamente por 100 milhões de dólares (cerca de 89 milhões de euros).

Springsteen, de 72 anos, tem estado com a Columbia Records da Sony durante toda a sua carreira de 50 anos, tendo vendido mais de 150 milhões de discos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG