Exclusivo Banda sonora para um filme desconhecido

Um dos melhores e mais solicitados guitarristas nacionais, António Mão de Ferro apresenta na Casa da Música o álbum a solo Lunatic, editado no final de 2019, mas que só agora, devido à pandemia, pode finalmente ser tocado ao vivo.

O currículo fala por si, habitual colaborador de gente como Minnemann Blues Band, GNR, Xutos e Pontapés, Rui Veloso, entre outros, António Mão de Ferro é um dos mais reconhecidos e solicitados guitarristas nacionais, também já com uma profícua carreira a solo, iniciada em 2007 com o álbum Karma Train, mas cujo mais recente capítulo, Lunatic, marca uma viragem na sonoridade deste músico nascido no blues mas desde sempre apaixonado pelo rock. "O blues é a minha raiz, mas apaixonei-me também desde muito cedo pelo rock e pela pop e hoje, se calhar, até sou mais um músico desses estilos", começa por confessar nesta conversa com o DN, a respeito do concerto de apresentação do disco na Casa da Música, no Porto, marcado para o dia 17 de junho, quase dois anos depois da sua edição.

"O disco saiu em 2019, mas devido ao confinamento, o concerto de apresentação foi adiado duas vezes. Se soubesse tinha atrasado também a edição do disco", diz com humor. O que não impediu os fãs de responder afirmativamente, esgotando com alguns dias de antecedência o espetáculo, cujo bilhete inclui um exemplar do disco. "É muito bom sinal este interesse do público, estamos muito entusiasmados com isso", admite o músico, que estará acompanhado em palco pelo baixista Bernardo Fesch, o guitarrista Diogo Mão de Ferro, o teclista Diogo Santos e os bateristas Jorge Oliveira e Leandro Leonet, além do convidado Kiko Pereira, o músico e cantor luso-americano que António considera "um companheiro de sempre". O concerto será gravado em vídeo, pelo músico e realizador André Tentúgal, para eventual edição futura.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG