B-MAD: o novo museu de Arte Déco de Lisboa

O museu é uma iniciativa da Associação de Coleções e reúne a coleção de Joe Berardo. As portas abrem-se a 24 de abril, em Alcântara.

OBerardo Museu Arte Deco (B-MAD) apresenta um conjunto de objetos de Arte Nova e Arte Déco que é considerada, segundo os seus promotores, "uma das mais importantes coleções do mundo no seu segmento".

O novo museu é uma iniciativa privada da Associação de Coleções, abrirá ao público a 24 de abril e está localizado em Alcântara (Rua 1.º de Maio), na agora reabilitadada antiga residência de veraneio do então marquês de Abrantes, mandada construir na primeira metade do século XVIII. Até final de maio as entradas são gratuitas.


O novo museu inaugura com uma exposição comissariada por Márcio Alves Roiter, fundador e presidente do Instituto Art Déco Brasil, no Rio de Janeiro, e por Emmanuel Bréon, especialista em arte dos anos 20 e 30 e antigo diretor do Musée des Années 30, em Paris, segundo comunicado.

A coleção do novo museu é considerada "uma das mais importantes do mundo no seu segmento".Até finais de maio as entradas são gratuitas.


A exposição procura recriar "a ambiência de várias épocas inspiradas pelas artes decorativas, da última década do século XIX ao despoletar da Segunda Guerra Mundial", e um dos grandes desafios consistiu na colocação dos objetos nas salas "respeitando o lado didático, mas não sendo obsessivo na sua elaboração", explica o novo B-Mad. Na coleção estão reunidas obras de criadores da época, como Jacques-Émile Ruhlmann, Alfred Porteneuve, Jean-Michel Frank, Jacques Adnet, Leleu, Sornay, Dufrêne, Follot, Jallot, Majorelle, Kiss, Lalique, Brant, Puiforcat e Perzel, nas componentes da arte decorativa - móveis, trabalhos em ferro, candeeiros, objetos de vidro, cerâmica, arte da mesa e pratas -, associada à pintura, escultura, desenho, moda e joalharia, num mostruário dos estilos Arte Nova e Arte Déco.


Segundo o comissário Márcio Alves Roiter, "a coleção Berardo de Arte Déco, formada principalmente nos últimos 30 anos por peças encontradas em diversas partes do mundo, é um símbolo e resumo da universalidade deste estilo/movimento das primeiras décadas do século XX".

Art Nouveau


"Arte e indústria nunca mantiveram diálogo tão sofisticado na história das artes decorativas. Da utopia "arte para todos", pretendida pelo estilo precedente, o Art Nouveau, nascia, por volta de 1920, um verdadeiro estilo, uma estética, que se tornaria presente em todas as áreas da criação humana", explica o comissário.Também o outro comissário da exposição, Emmanuel Bréon, reforça a raridade da coleção, por se "interessar por todos os componentes da arte decorativa - móveis, trabalhos em ferro, candeeiros, objetos de vidro, cerâmica, arte da mesa e pratas -, sabendo reunir num mostruário notável uma coleção muito representativa do estilo de 1925 que o mundo inteiro redescobre hoje".

Esta coleção de Joe Berardo já foi alvo de exposições, nomeadamente na Fundação de Serralves, no Porto, no Sintra Museu de Arte Moderna - Coleção Berardo, no Museu Berardo, em Belém, no Centro das Artes Casa das Mudas, na ilha da Madeira, no Bacalhôa Adega Museu, em Azeitão, e em diversas instituições museológicas estrangeiras. O novo equipamento cultural terá loja e acesso a um jardim com esplanada.

filipe.gil@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG