Amadora BD abre ao público com programação "diversificada e versátil"

O festival Amadora BD realiza-se a partir desta quinta-feira até ao dia 1 de novembro no Ski Skate.

O festival Amadora BD abre esta quinta-feira ao público, depois de uma edição totalmente online no ano passado, com uma programação "muito diversificada e versátil" e uma nova localização do núcleo central, agora situado no Ski Skate Amadora Park.

Nesta quinta-feira de manhã ultimavam-se os detalhes no núcleo central, cuja mudança para uma nova morada foi forçada pela pandemia da covid-19, visto que o espaço onde o Amadora BD esteve nos últimos 16 anos, o Fórum Luís Camões, é neste momento espaço de vacinação.

"Adotámos esta morada com todas as vantagens que esta morada tem, nomeadamente uma relação muito profícua com o exterior, que nos permite criar pela primeira vez um recinto de festival", afirmou a diretora do Amadora BD, Catarina Valente, em declarações à Lusa durante uma visita ao espaço.

No Ski Skate Amadora Park, na freguesia da Damaia, a organização conseguiu criar "uma área de convívio e de estar", exterior, junto ao núcleo expositivo central, que reúne dez mostras de autores nacionais e internacionais, e a área comercial, onde se realizarão as habituais sessões de autógrafos e estarão presentes as editoras nacionais de BD.

"Este espaço é convidativo no sentido em que a deslocação entre os espaços é extremamente fácil e temos muito bons acessos", referiu Catarina Valente.

Depois de uma edição 'online' em 2020, a diretora do Amadora BD destaca a importância do "contacto direto com o público e com a comunidade bdéfila", algo "fundamental para que o festival continue" e para que a organização continue "a levar banda desenhada ao público".

A edição que começa conta com uma programação "muito diversificada e versátil também". "Vamos ter conteúdos muito distintos que achamos que são oportunidades únicas para os nossos visitantes", afirmou.

Catarina Valente destacou, por exemplo, a exposição "80 anos de Diana, a Mulher-Maravilha: Guerreira e Pacifista", que celebra os 80 anos daquela personagem da DC Comics e "que marcará a história do Amadora BD".

"É uma protagonista feminina, que pertence à Liga da Justiça, e tem este impacto hoje em dia, sobretudo com a questão do feminino e da importância do feminino na banda desenhada", disse.

A mostra, na qual é possível ver-se originais, "de um colecionador amigo do festival", traz ao Amadora BD, entre outros, "os portugueses Daniel Henriques e Miguel Mendonça, que ilustram este personagem para a DC Comics".

Este ano, o festival assinala um outro aniversário, os 75 anos de Lucky Luke, com a mostra "Os Herdeiros de Morris", que traz à Amadora Achdé e Mawil, dois dos autores que, após a morte do criador do 'cowboy' mais popular da banda desenhada, em 2001, contribuem para que "estes personagens não caiam no esquecimento e continuem a fazer parte do imaginário dos leitores".

Catarina Valente destaca também a mostra "A História do Mangá", dedicada à banda desenhada japonesa, "às suas características e ao seu impacto na cultura ocidental".

"Estava na hora de nos aproximarmos do público mais jovem, e pensámos esta exposição tendo em conta o público mais jovem que nos visitava e que é leitor de Mangá. Além de apresentar reproduções de originais de séries de culto como 'Akira', 'Lobo Solitário' ou 'Astroboy', [a mostra] apresenta outras coleções um pouco mais populares, também devido ao anime e ao cinema de animação, como 'Dragon Ball', 'Navegantes da Lua' ou 'Doraemon", acrescentou.

No núcleo central do Amadora BD estarão também patentes, entre outras exposições: "Michel Vaillant: o (próximo) desafio", onde se pode ver originais de Marc Bourgne e trabalhos em arte digital de Benjamin Beneteau, dois dos autores da série criada por Jean Graton na década de 1950; "Verões Felizes", dedicada àquela série de banda desenhada francesa; e "Corvo V: Inimigos Íntimos", na qual Luís Louro, vencedor do Prémio de Melhor Obra de BD e Autor Português em 2020, mostra o quinto volume das aventuras da personagem que criou em 1994.

Além do Ski Skate Amadora Park, nesta edição o Amadora BD tem também exposições na Galeria Municipal Artur Bual, "O bom filho à casa torna. Retrospetiva de Jorge Miguel" e "Marcello Quintanilha. Chão de Estrelas", e, na Bedeteca da Amadora, "Desvio, de Bernardo P. Carvalho e Ana Pessoa".

A programação completa do Amadora BD, que decorre até 01 de novembro e é organizado pela Câmara Municipal da Amadora, pode ser consultada em www.amadorabd.com.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG