A generosidade de George Clooney: ator distribuiu 14 milhões por 14 amigos

A amizade tem um preço? Para o ator norte-americano cifra-se num milhão de dólares.

O cenário parece de filme de Hollywood: há uma meia dúzia de anos, George Clooney conduziu uma velha carrinha até um armazém no centro de Los Angeles onde estão guardadas "paletes gigantes de dinheiro". De seguida encheu a bagagem com 14 milhões de dólares [11,8 milhões de euros na conversão atual] e chamou 14 amigos para a sua casa.

O seu amigo Rande Gerber já tinha quebrado o silêncio em 2017, numa entrevista à MSNBC. Agora o próprio George Clooney não só confirmou a história, mas também a contou com pormenor, numa entrevista à GQ.

O ator norte-americano, divorciado à época, explicou que o filme Gravidade, que protagonizou com Sandra Bullock, revelou-se um sucesso de bilheteira inesperado, o que lhe rendeu uns milhões de dólares a mais do que esperava. É que o contrato previa o pagamento mediante a receita do filme.

"E eu pensei, sabes, sem eles não tenho nada disto", disse Clooney dos seus amigos. "E eu pensei, basicamente, que se eu for atropelado por um autocarro, todos eles estão no testamento. Então, porque raio estou à espera de ser atropelado por um autocarro?", prosseguiu. "Abri um mapa e apontei para todos os lugares do mundo onde tenho de ir e todas as coisas que consegui ver por causa deles", continuou na entrevista. "E disse: 'Como é que se retribui assim às pessoas? 'Oh, bem: Que tal um milhão de dólares?'."

Clooney, de 59 anos, tanto se destacou pela carreira cinematográfica como pelo seu ativismo, em especial pelos crimes de guerra no Darfur. Chegou a ser detido em 2012 numa manifestação à porta da embaixada do Sudão em Washington. O seu ativismo pela independência do Sudão do Sul, um processo que descambou em violência e num regime corrupto, valeu-lhe também críticas.

A sua fundação tem distribuído alguma da sua riqueza, do Haiti a associações que ajudam os pobres e excluídos nos EUA. A mulher, Amal, é uma advogada de causas em prol dos direitos humanos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG