Exclusivo Um cientista entre cobras e lagartos numa corrida contra o tempo. "E nós estamos a perdê-la"

Biólogo e curador-chefe do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto, Luís Ceríaco já descobriu 25 espécies novas para a ciência, 12 no último ano. Alerta que muitas delas estão a desaparecer antes sequer de as conhecermos e diz que a pandemia era "uma inevitabilidade".

Eborense, de 33 anos, Luís Ceríaco desde cedo se habituou "à bicharada", como o próprio lembra. Filho de professores de Biologia, a paixão pelo estudo dos animais acabou por ser uma coisa natural. Especializou-se no estudo de répteis e anfíbios (herpetologia) e tem descoberto várias novas espécies para a ciência nas suas expedições em África.

Em 2020, foram mais de uma dezena as espécies reveladas, entre elas uma que ganhou eco universal: uma serpente venenosa a que deu o nome do vocalista dos Metallica, James Hetfield.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG