Um arco-íris no céu de Marte ou o reflexo de uma lente?

A imagem é maravilhosa, a de um arco-íris a riscar o céu de Marte, mas a NASA já veio esclarecer que não pode haver arco-íris no gélido planeta vermelho - tratou-se simplesmente de um reflexo da lente da câmara do robô Perseverance.

As fotos tiradas pelo robô Perseverance , o maior e mais complexo veículo jamais enviado a Marte, pareciam mostrar um arco-íris. A imagem provocou uma onda de interesse e surpresa nas redes sociais, mas rapidamente a fantasia foi dissipada pela ciência.

Com um simples tweet, a Nasa (National Aeronautics and Space Administration) lembrou que um arco-íris aparece graças ao reflexo da luz nas gotas de água, mas que no planeta vermelho "não há água suficiente para condensar e está muito frio para haver água líquida na atmosfera". Por isso, explicou, "este arco-íris é o reflexo da lente".

Este tipo de reflexo é um fenómeno causado pela difusão de uma fonte de luz dentro da lente de uma câmara. Permite o aparecimento de um círculo luminoso.

Thomas Appéré, perito em Planetologia, confirmou ao jornal belga La Libre as explicações da NASA. "Trata-se de um efeito da câmara. Observamos no mesmo lugar em várias fotos tiradas com iluminação diferente e com vários dias de intervalo", destaca.

"Marte não é lugar para os fracos", escreve a NASA no seu site sobre a missão a este planeta. "Árido, rochoso, frio e aparentemente sem vida, o Planeta Vermelho oferece pouca hospitalidade. No entanto, os fãs de desportos radicais podem gostar, pois o Planeta Vermelho desafiará até mesmo as almas mais resistentes. Lar do maior vulcão do sistema solar, do desfiladeiro mais profundo e com padrões loucos de clima e temperatura, Marte assume-se como o planeta solitário".

Explica a NASA que a atmosfera de Marte é composta principalmente de dióxido de carbono (cerca de 96 por cento), com pequenas quantidades de outros gases, como o nitrogénio.

Porém, a atmosfera é muito fina e a pressão atmosférica na superfície de Marte é apenas cerca de 0,6% da da Terra. Os cientistas pensam que Marte pode ter tido uma atmosfera mais densa no início de sua história, e os dados da nave espacial da NASA (a missão MAVEN) indicam que Marte perdeu quantidades significativas de sua atmosfera ao longo do tempo. O principal culpado terá sido o vento solar.

Na missão atualmente em curso, a curiosidade está agora concentrada no helicóptero Ingenuity, que este domingo vai fazer a primeira tentativa da história da humanidade de voo controlado e motorizado de uma aeronave a partir de outro planeta.

Se tudo correr conforme o plano, o helicóptero de 1,8 kg deve descolar da cratera de Jezero, em Marte, no domingo, 11 de abril, às 12h30, pairando 3 metros acima da superfície durante até 30 segundos.

Especialistas no controlo da missão no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, no sul da Califórnia, esperam receber os primeiros dados da primeira tentativa de voo na manhã seguinte.

A NASA TV transmitirá a cobertura ao vivo da equipa conforme forem recebendo os dados. "Embora o Ingenuity não carregue instrumentos científicos, o pequeno helicóptero já está a a fazer sentir a sua presença em todo o mundo, à medida que futuros líderes seguem o seu progresso em direção a um primeiro voo sem precedentes", disse Thomas Zurbuchen, administrador associado de ciência na sede da NASA.

"Fazemos demonstrações de tecnologia como essa para aumentar a nossa experiência e fornecer algo sobre o qual as próximas missões e a próxima geração possam construir. Assim como a Ingenuity foi inspirada pelos irmãos Wright, os futuros exploradores partirão usando os dados e a inspiração desta missão. "

Salienta a NASA que "existem várias razões estratégicas, práticas e científicas para os humanos explorarem Marte", logo à partida por ser o planeta mais acessível do sistema solar.

"Além disso, explorar Marte oferece a oportunidade de responder a questões sobre a origem e evolução da vida e pode, algum dia, ser um destino para a sobrevivência da humanidade. No sentido estratégico, explorar Marte demonstra nossa liderança política e económica como nação, melhora a qualidade de vida na Terra, ajuda-nos a aprender sobre nosso planeta natal e expande a liderança dos Estados Unidos na exploração pacífica e internacional do espaço", sublinha a agência espacial norte-americana.

Os cientistas estão convictos que Marte é único em todo o sistema solar por ser um planeta terrestre com atmosfera e clima. A sua geologia é conhecida por ser muito diversa e complexa (como a Terra), e parece que o clima de Marte mudou ao longo de sua história (como a Terra).

"No geral, muitas das questões-chave na ciência do sistema solar podem ser resolvidas de forma eficaz explorando Marte. Este esforço também serve para inspirar a próxima geração de exploradores e expandir dramaticamente o conhecimento humano", completa a NASA

Mais Notícias

Outras Notícias GMG