Uma viagem pelos 20 anos de PlayStation

A consola de jogos da Sony fez 20 anos na quarta-feira. Duas décadas de equipamentos a acompanhar as evoluções tecnológicas da revolução digital. Faça connosco uma viagem no tempo.

A consola original chegou ao Japão no dia 3 de dezembro de 1994. Entrava num mercado já bem servido: a Nintendo 64 e a Sega Saturn, também acabadas de chegar, tinham a capacidade de fazer gráficos em 3D e, no caso da Sega, esta vinha com o 'último grito' tecnológico no armazenamento digital - o CD-ROM.

A PlaysStation da Sony, que também corria os jogos a partir de CD, acabou por demonstrar ser o produto certo na altura exata: o suporte era fácil de fabricar e barato (mais económico do que os cartridges usados pela Nintendo) e as capacidades gráficas da PS eram mais do que suficientes para fascinar o público. Os criadores de jogos rapidamente adotaram o formato e criaram títulos exclusivos memoráveis como Wipeout ou Final Fantasy VII. Além disso, a consola ainda era um excelente (para o preço) leitor de CD!

O ano 2000 traz (na memória coletiva) o novo milénio e a PlayStation 2. Até hoje, nunca qualquer consola teve tanto sucesso comercial - mais de 155 milhões de unidades vendidas até ao dia 28 de dezembro de 2012.

O êxito deveu-se a vários fatores. A consola era graficamente muito mais poderosa do que a sua antecessora, mas ao mesmo tempo era retrocompatível - os jogos da PS1 (e até os cartões de memória) funcionavam na PS2 - o que se revelou mais um incentivo para os proprietários da PlayStation fazerem o 'upgrade'. Finalmente, a consola lia DVD pelo que, para muitas famílias, tornou-se o leitor de filmes lá de casa.

A PlayStation 3, lançada a 17 de novembro de 2006, não teve um percurso tão fulgurante. Em parte porque a Sony tentou incluir demasiadas funcionalidades numa única caixa. A primeira versão da consola era um verdadeiro leitor universal de discos ópticos: além do recém-chegado Blu-Ray, lia DVD e CD, bem como Super-Audio CD (SA-CD) e DVD Áudio - estes últimos formatos de música de alta resolução que nunca passaram de formatos de nicho. Tinha ainda um leitor universal de cartões de memória e um disco rígido de 20 ou 60 GB - o que parece pouco mas não era, na altura...

A lógica da PS3 sempre foi assumir-se como mais do que a simples consola de jogos. Era uma máquina que queria ser o centro de entretenimento da casa, capaz de ler filmes em alta definição e em 3D; ser a biblioteca de música ou fazer 'streaming' ligando-se sem fios à rede doméstica; e trazia associada a loja PlayStation Network que, além de permitir comprar jogos ou descarregar demos, funciona também como porta para um serviço de aluguer de filmes (algo que nunca chegou a Portugal). Tudo isto além de, naturalmente, ser uma potente máquina de jogos: o seu microprocessador Cell, desenhado pela Sony em conjunto com a Toshiba e a IBM era na altura um dos mais poderosos do mundo.

Tanta tecnologia tem, claro, um preço - que no lançamento rondou os 500 euros. Este terá sido um dos principais factores a justificar as vendas relativamente baixas dos primeiros meses. E as alterações ao aparelho que logo se seguiram: para baixar o preço final, a Sony retirou a compatibilidade com o SA-CD e o leitor de cartões de memória. Mas o tempo viria a ser positivo para o produto, cujas vendas no final de 2013 já ultrapassavam os 80 milhões de unidades.

A PlaySyation 4 fez um ano no passado dia 15 de novembro. Tem tido um início de vida não muito diferente da sua irmã mais velha: o facto de não ser retrocompatível com os jogos e 'hardware' da PS3 ajuda ao facto de haver muitas pessoas que hesitem em "dar o salto" para a nova geração.

O preço - um euro abaixo dos 400 - e a conjuntura económica também ajudam ao arranque mais lento do que a Sony seguramente gostaria. Mas capacidades gráficas que ainda mal começaram a ser exploradas pelos programadores - a PS4, que usa processadores AMD, é na realidade um PC poderoso dentro de uma caixa de consola - e serviços em rápido desenvolvimento como a possibilidade de jogar diretamente da 'nuvem', sem precisar descarregar o jogo todo para o disco rígido, têm potencial para levar muito longe esta geração da máquina cujo nome é, para muitos portugueses, sinónimo de jogos de vídeo.

Para a PS4, 20 anos depois do início da história da família, o capítulo está ainda no princípio...

Mais Notícias

Outras Notícias GMG