Amazon vende mais 'e-books' do que livros com capa dura

A loja online Amazon anunciou que as vendas do seu leitor electrónico Kindle triplicaram desde que baixou o seu preço, no fim de Junho, adiantando ainda que, no último trimestre, vendeu mais livros electrónicos do que físicos no formato 'hardcover' (de capa dura).

A empresa, com sede em Seattle, explicou que as vendas do seu popular dispositivo de leitura electrónica aceleraram em todos os meses do segundo trimestre do ano e que, desde que baixou o seu preço dos 259 para os 189 dólares (200 para 146 euros), a 21 de Junho, o número de equipamentos vendidos triplicou.

A Amazon continua sem divulgar dados concretos sobre as vendas do Kindle mas, em comunicado de imprensa, explicou que o dispositivo continua a ser o que mais se vende há dois anos.

Além disso, explicou que, apesar de as vendas de livros tradicionais continuarem a crescer, durante o segundo trimestre do ano as vendas de livros em formato electrónico superaram pela primeira vez as dos livros impressos com capa dura.

"Conseguimos um ponto de não retorno com o novo preço do Kindle", explicou na segunda feira o fundador e conselheiro delegado do Kindle, Jeff Bezos, que assegurou que o facto de as vendas de livros digitais terem superado as dos físicos é algo "assombroso", tendo em conta o pouco tempo a que a empresa se dedica a este negócio.

O responsável acrescentou ainda que a Amazon vende livros impressos há 15 anos e que "apenas há 33 meses" distribui livros para o Kindle.

Nos últimos três meses, por cada cem livros tradicionais de capa dura vendidos, a Amazon.com vendeu 143 livros electrónicos, um número que dispara se forem considerados apenas os dados do últimos mês, quando por cada cem livros impressos em capa dura vendidos, a empresa vendeu 180 exemplares para o Kindle.

[Notícia corrigida às 19h00h]

Mais Notícias

Outras Notícias GMG