OMS recomenda sexo seguro aos sobreviventes do ébola

Aviso surge na sequência da descoberta do vírus no sémen de um homem que venceu a doença há seis meses.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda aos sobreviventes do ébola que pratiquem sexo seguro de forma a evitar o contágio dos seus parceiros.

Este aviso surge na sequência da descoberta do vírus no sémen de um homem que venceu a doença há cerca de seis meses, o que representa mais 90 dias do que aquilo que estava documentado até agora.

Apesar de não haver provas de que, após seis meses, o vírus do ébola se possa propagar através das relações sexuais, a OMS lança a recomendação ao mesmo tempo que faz investigações para avaliar os riscos.

Assim, aqueles que venceram o vírus do ébola deverão utilizar preservativos durante o ato sexual e por um período superior a três meses.

Nem no surto mais recente, que afetou a África ocidental, nem em anteriores se provou que o ébola se transmite através do contacto sexual com sobreviventes.

A mais recente epidemia de ébola teve início em dezembro de 2013 e afetou sobretudo a Libéria, Serra leoa e Guiné Conacri, onde se registaram 25.542 casos, que causaram 10.584 mortos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG