Maus hábitos alimentares são principais responsáveis por perda de anos saudáveis

Um relatório da DGS alerta que quase metade dos portugueses tem excesso de peso, e que as crianças e os idosos estão em particular risco devido a hábitos alimentares inadequados.

Os maus hábitos alimentares são o principal fator de risco responsável pelos anos de vida saudáveis perdidos em Portugal, segundo um relatório hoje apresentado pela Direção-geral da Saúde, que mantém que quase metade dos portugueses tem excesso de peso, e destaca que as crianças e os idosos estão em particular risco.

No caso das crianças, o relatório avança dados de um estudo do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto que destacam que cerca de 65% das crianças de quatro anos comem bolos e doces pelo menos uma vez por dia e a quase totalidade (99%) ingere sal a mais.

Pedro Graça, coordenador do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, considera que estes dados vêm mostrar que "a carga da responsabilidade que foi durante muito tempo atribuída à escola tem de ser retirada".

"Estes hábitos inadequados começam muito cedo, em idade pré-escolar e no seio da família. É uma situação de preocupação", referiu à agência Lusa.

Mais de 50% dos idosos obesos, 31% desnutridos

Também os idosos portugueses estarão numa situação alimentar e nutricional de risco alimentar particularmente elevado, segundo o mesmo relatório, que defende a necessidade de uma avaliação nacional do estado nutricional da população mais velha.

Um estudo que avaliou o estado nutricional dos idosos que frequentam centros de dia e de convívio no concelho de Paços de Ferreira mostra que mais de 50% apresentavam obesidade e que 31,8% estavam em risco de desnutrição.

A seguir aos maus hábitos alimentares surgem tabaco e hipertensão

"Os hábitos alimentares inadequados em Portugal foram responsáveis por 11,96% do total de anos de vida prematuramente perdidos, ajustados pela incapacidade, no sexo feminino, e por 15,27% no sexo masculino", refere o relatório, citando dados compilados no ano passado, mas recolhidos em Portugal em 2010.

No caso das mulheres, logo depois dos maus hábitos alimentares surgem como principais causas para anos de vida saudáveis perdidos a hipertensão, o índice de massa corporal elevado e a inatividade física.

Já nos homens, depois da inadequada alimentação vem o fumo do tabaco, a hipertensão e o consumo excessivo de álcool.

"Todas as ações de prevenção das principais doenças crónicas devem ter em conta que a alimentação inadequada é a principal responsável pelos anos de vida saudáveis perdidos em Portugal", refere o relatório "Portugal -- Alimentação em Números 2014".

O documento volta a apontar para uma estimativa de metade da população adulta a sofrer de excesso de peso: cerca de um milhão de adultos são obesos e 3,5 milhões pré-obesos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG