Grande Prémio Bial 2010 atribuído a Vladimir Hachinski

O professor de neurologia Vladimir Hachinski venceu a edição 2010 do Grande Prémio Bial de Medicina, que premiou o seu trabalho de investigação que relaciona os acidentes vasculares cerebrais (AVC) e a doença de Alzheimer.

Em declarações à Lusa, o presidente do júri, Nuno Sousa, afirmou que o facto de Vladimir Hachinski "fornecer evidência para juntar duas áreas patológicas que aparentemente são distintas, mas que na realidade estão muito próximas uma da outra, tornou a obra claramente de excepção".

No trabalho, o investigador defende que os mecanismos que estão na base das duas doenças têm muito em comum, revelando ainda que os AVC e o Alzheimer "não se adicionam, potenciam-se, facto que abre caminho a importantes perspetivas terapêuticas e espaço de intervenção para alterar este cenário, adicionando anos de vida de cérebro saudável aos anos de vida de muitos de nós".

Para Nuno Sousa, o trabalho vencedor dá "a evidência que há uma ligação que não pode ser esquecida entre os fenómenos neuropatológicos, que estão na base da doença de Alzheimer, e as alterações cardiovasculares".

O júri entendeu que, com este trabalho, "abre-se um novo campo de prevenção na área das demências", uma vez que demonstra ser necessário que agora se preste "muita atenção à saúde cardiovascular como forma de prevenir o funcionamento cognitivo", frisou Nuno Sousa.

A presença de factores de risco vascular na meia-idade é o fator que melhor prediz o risco de AVC ou doença de Alzheimer em idades avançadas.

A receita para adicionar "anos de vida de cérebro saudável aos anos de vida de muitos de nós" passa por, na ótica do vencedor, "um maior rigor nos critérios de diagnóstico".

"O trabalho aponta soluções que permitem uma distinção mais precisa entre os défices cognitivos de memória (mais ligados ao Alzheimer) e os de função executiva (relacionados com AVC silenciosos)", refere uma síntese sobre a obra.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG