As noites estão menos escuras? A culpa é dos satélites e detritos espaciais

A estimativa é de que o céu esteja 10% mais brilhante durante o período noturno

As noites estão cada vez menos escuras, um fenómeno que afeta grande parte do planeta, explicam os autores de uma investigação que está a ser publicada no Monthly Notices of the Royal Astronomical Society: Letters.

A culpa, dizem os cientistas, é da multidão de objetos em torno da Terra, nomeadamente satélites e detritos espaciais. A estimativa é de que o céu esteja 10% mais brilhante durante o período noturno, num fenómeno diferente do da poluição luminosa produzida pelas luzes das cidades.

"Ao contrário da poluição luminosa na Terra, este tipo de luz artificial no céu noturno pode ser visto em grande parte da superfície da Terra", esclareceu John Barentine, da International Dark-Sky Association. "Os astrónomos constroem observatórios longe das cidades para procurar céus escuros, mas esta forma de poluição luminosa tem um alcance geográfico muito mais amplo", acrescentou.

O excesso de objetos espaciais que circundam a Terra pode vir a tornar-se um problema para o funcionamento dos mesmos, uma vez que há o risco de colisão ou mesmo de radiointerferências entre eles.

De acordo com as estimativas dos investigadores, com base no tamanho e nas características ópticas dos objetos espaciais, falamos de um brilho superior em 10% ao padrão de um céu noturno natural, "ultrapassando assim a 'linha vermelha' do limite estabelecido pela União Astronómica Internacional para poluição luminosa".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG