Missão europeia prepara-se para explorar luas de Júpiter

A Agência Espacial Europeia (ESA, sigla em inglês) prepara uma missão para explorar o maior planeta do sistema solar e três das suas luas de gelo. A previsão é que a nave 'Juice' seja lançada em 2022 e chegue à órbita de Júpiter oito anos depois.

Durante três anos, depois de lá chegar, a nave irá explorar as luas jupiterianas Europa, Ganimedes e Calisto e observar também o grande planeta gasoso que elas orbitam. A possibilidade das três luas terem grandes oceanos sob uma espessa camada de gelo intriga os cientistas há muito tempo.

Os instrumentos que vão realizar as experiências científicos na missão foram escolhidos recentemente: serão 11 no total. Esta missão de exploração das luas geladas de Júpiter, batizada 'Juice', pretende medir a espessura da camada de gelo, explorar os seus oceanos escondidos, revelar as suas estruturas internas e mapear a suas superfícies.

"A seleção dos instrumentos da 'Juice' é um marco fundamental na missão emblemática da ESA para explorar o Sistema Solar, o que representa uma oportunidade sem precedentes para demonstrar o significativo conhecimento tecnológico e científico europeu", diz Álvaro Giménez Cañete, diretor de Ciência e Exploração Robótica da ESA, em comunicado.

Durante a missão, a 'Juice' vai observar a atmosfera de Júpiter e a sua magnetosfera, ou seja, os campos magnéticos e elétricos dela resultantes. Assim, analisarão também a interação dos quatro satélites descobertos por Galileu Galilei em 1610 - as três luas geladas mais Io - com o gigante planeta gasoso.

A sonda irá realizar uma dúzia de voos rasantes sobre Calisto, o objeto com mais crateras no Sistema Solar, e vai voar sobre Europa por duas vezes, a fim de fazer as primeiras medições da espessura da sua camada de gelo.

A 'Juice' vai terminar a sua missão a orbitar em torno de Ganimedes, onde irá estudar a superfície gelada da lua e a sua estrutura interna, incluindo o seu oceano sob a superfície.

Maior satélite do Sistema Solar, Ganimedes é a única lua conhecida a gerar o seu próprio campo magnético. Juice vai observar as suas singulares interações magnéticas e de plasma com a magnetosfera de Júpiter detalhadamente.

"Júpiter e as suas luas geladas constituem uma espécie de mini-sistema solar em si mesmo, a oferecer aos cientistas europeus e aos nossos parceiros internacionais a oportunidade de aprender mais sobre a formação de mundos potencialmente habitáveis em torno de outras estrelas", diz Dmitrij Titov, cientista da missão da ESA, no mesmo comunicado da agência espacial europeia.

Equipas de cientistas provenientes de 15 países europeus, dos EUA e do Japão trabalham na missão que deverá chegar na órbita de Júpiter em 2030.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG