Kea, os papagaios que conseguem usar aparelhos touchscreen

Um estudo descobriu que um papagaio da espécie Kea, em vias de extinção, pode ser treinado para usar dispositivos eletrónicos.

O Kea, uma espécie de papagaio da Nova Zelândia que está em vias de extinção consegue utilizar aparelhos com ecrãs sensíveis ao toque, contudo, e segundo um estudo não consegue diferenciar entre os mundos real e virtual.

Os investigadores ensinaram seis papagaios desta espécie - na reserva de Vida Selvagem Willowbank, em Christchurch, Nova Zelândia - como utilizar aparelhos touchscreen. Os pássaros foram utilizados para fazer uma série de tarefas físicas utilizando ecrãs de diferentes aparelhos.

Amalia Bastos, candidata a doutorado na Universidade de Auckland e primeira autora do estudo explicou ao jornal britânico que, que embora os Kea tenham sido treinados para usar dispositivos eletrónicos no passado, a nova pesquisa mostrou que testes virtuais podem ser usados ​​para estudar com precisão o comportamento natural desta espécie de ave no mundo real.

Bastos espera que a pesquisa possa melhorar o sucesso dos programas de conservação de reprodução e soltura para o papagaio que neste momento está em vias de extinção.

"Estes papagaios são difíceis de manter em cativeiro porque são muito inteligentes e precisam de ser constantemente de fazer tarefas para se manterem mentalmente saudáveis", afirmou a pesquisadora de origem brasileira.

"Isso requer que os tratadores deem aos pássaros jogos, disse Bastos. "São muito curiosos e aprendem muito rapidamente"

A lamber ecrãs

Nomeada ave do ano da Nova Zelândia em 2017, o Kea é o único papagaio alpino do mundo. As ameaças à sua sobrevivência incluem envenenamento por chumbo em acabamentos de habitações e mortes por interações humanas.

"É muito importante mantê-los longe dos ambientes humanos o máximo possível", disse ela. Como os bicos dos pássaros são feitos de queratina - como as unhas humanas - que não podem ativar telas sensíveis ao toque, os pesquisadores espalharam manteiga de amendoim nos dispositivos e treinaram o pássaro para ativar os ecrãs lambendo-as.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG