Europa perdeu 421 milhões de aves em três décadas

Estudo alerta que as mudanças agrícolas estão a afetar os pássaros e a diminuir as suas populações.

As populações de aves estão a diminuir por toda a Europa, incluindo algumas bem comuns, como os pardais, os estorninhos ou as perdizes-cinzentas. Estimativas de um estudo publicado na revista Ecology Letters apontam para que nos últimos 30 anos o continente europeu perdeu 421 milhões de aves e pássaros.

Em Portugal, onde os censos anuais só têm uma década, essa tendência não é clara, a não ser para três espécies bem identificadas: a rola-brava, e dois picanços, o real e o barreteiro. A perda de habitat, devido a mudanças profundas nas práticas agrícolas e na paisagem florestal, é a principal causa do problema.

Para os autores da investigação, no entanto, o saldo negativo global de 421 milhões de aves no continente europeu, em relação há três décadas, é um mau indicador. "É muito preocupante que as espécies mais comuns estejam em declínio rápido porque estas são, justamente, as aves com maiores benefícios para as populações humanas", adverte Richard Inger, biólogo da Universidade de Exeter e um dos autores do estudo.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG