Detetam super-Júpiter engolido por buraco negro

Astrofísicos da Universidade de Genebra (UNIGE) detetaram um "super-Júpiter" a ser engolido por um 'buraco negro', numa galáxia situada a 47 milhões de anos-luz, foi hoje anunciado.

Um "super-Júpiter" é um objeto astronómico com uma massa superior à do planeta Júpiter.

A observação foi realizada pelo satélite europeu INTEGRAL, no qual colaboram também a NASA e a Rússia. Colocado em órbita desde 2002, este satélite astronómico de quatro toneladas estuda os raios gama.

Durante as análises, os cientistas, que gerem em Genebra o Centro de Dados da missão INTEGRAL, encontraram um sinal luminoso oriundo de um "buraco negro" localizado no centro da galáxia NGC 4845, com uma massa 300.000 vezes superior à do Sol e adormecido há mais de 30 anos, indicou hoje a UNIGE, em comunicado.

"Esta observação era totalmente inesperada oriunda de uma galáxia tranquila durante pelo menos 20 a 30 anos", disse Marek Nikojuk, da Universidade de Bialystok na Polónia, o principal autor de um artigo publicado na revista Astronomia e Astrofísica.

Este "buraco negro" despertou ao absorver um planeta cuja massa é 15 vezes superior à de Júpiter.

De acordo com o artigo publicado na Astronomia e Astrofísica, o "buraco negro" levou três mês para desviar este "super-Júpiter" da trajetória e engolir 10% da massa total, enquanto a mais forte densidade continua em órbita.

Os astrónomos consideraram que existem tantos planetas errantes como estrelas na galáxia NGC 4845.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG