Celebrações dos 90 anos da confirmação da teoria de Einstein

Cientistas portugueses assinalam este ano em Lisboa e em São Tomé e Príncipe o 90.º aniversário da primeira confirmação da Teoria da Relatividade Geral de Einstein, que foi feita na então ilha portuguesa do Príncipe.

Foi o registo, naquela ilha, da deflexão da luz durante o eclipse solar total de 29 de Maio de 1919 que permitiu ao astrónomo inglês Arthur Eddington testar pela primeira vez a teoria proposta pelo físico alemão em versão final três anos antes (1916).

Uma das previsões da teoria, que viria a dar celebridade mundial a Einstein, era que um raio de luz de uma dada estrela sofreria uma deflexão ao passar nas imediações do Sol com o dobro do valor previsto na teoria de Newton.

A escolha da ilha do Príncipe - tal como a de Sobral, no Ceará (nordeste do Brasil), onde outro astrónomo britânico, Charles Davidson, fez observações idênticas - deveu-se à sua situação geográfica equatorial, de maior proximidade do Sol.

A expedição de Eddington foi apoiada pelo Observatório Astronómico de Lisboa, pelas autoridades portuguesas e pelos colonos da ilha.

As celebrações dos 90 anos da confirmação científica estão a ser preparadas pela Sociedade de Geografia de Lisboa (SGL), o Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP) e o Centro Multidisciplinar de Astrofísica (Centra), de que fazem parte o IST e as universidades do Algarve e da Beira Interior, e ainda o Observatório Astronómico de Lisboa.

Luís Aires-Barros, presidente da SGL, disse à Lusa que a instituição está a planear um ciclo de conferências em Lisboa, a 21 e 22 de Maio, e uma deslocação à ilha do Príncipe, onde em 29 de Maio deverá ser descerrada uma lápide evocativa na roça Sundy, o local das observações de Eddington.

O programa, que prevê a participação de físicos e astrónomos portugueses, do Brasil e do Reino Unido, está a ser organizado pela Comissão Africana da SGL. Em São Tomé e Príncipe serão proferidas também duas conferências.

Excepcionalmente, e devido à efeméride, realiza-se este ano em São Tomé, de 8 a 10 de Setembro, a conferência internacional sobre física de astropartículas que desde 1996 o LIP e o Centra organizam de dois em dois anos na Universidade do Algarve.

"Novos Mundos na Física das Astropartículas" é o tema deste sexto encontro, que juntará na capital são-tomense físicos experimentais e teóricos em busca de uma visão simultânea do infinitamente grande e do infinitamente pequeno.

"A decisão de realizar a conferência naquele país lusófono foi uma resposta ao desafio que nos foi colocado por João Carlos Silva e vamos ainda realizar na mesma altura uma pequena escola para os alunos dos últimos anos do ensino secundário", disse à Lusa Mário Pimenta, do LIP.

João Carlos Silva, conhecido pelo seu programa de televisão Na Roça com os Tachos, tem estado ligado à realização de eventos culturais em São Tomé e Príncipe.

A escola "O que sabemos do Universo" fará uma introdução elementar à Relatividade Restrita e Geral e à Mecânica Quântica, incluirá temas actuais da Cosmologia, Astrofísica e Física de Partículas, e sessões com temas de ambiente e energia.

O Observatório Astronómico de Lisboa fará uma palestra com debate a 29 de Maio e uma exposição de documentos relacionados a expedição de Eddington, nomeadamente "chapas fotográficas com magníficas protuberâncias solares", disse o seu subdirector, Paulo Crawford.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG