Um pinguim sobre quatro rodas para não perturbar os "primos" da Antártida

(COM VÍDEO) O especialista francês Yvon Le Maho criou um pinguim telecomandado equipado com câmara e chip de localização para perceber o impacto das mudanças climáticas na biodiversidade do continente austral.

A ferramenta científica do investigador francês Yvon Le Maho foi criada com a preocupação de não influenciar a colónia dos pinguins em estudo.

Como escreve a revista Nature Methods,"a minimização da perturbação humana continua a ser um desafio metodológico importante para a investigação de animais selvagens".

O dispositivo remoto apresenta-se com quatro rodas mas tem a capacidade de se misturar naturalmente no local, permitindo estudar os recursos marinhos no Oceano Antártico.

BBC fez reportagem com um dos modelos usados pelos cientistas

O estudo de pinguins reais assume particular importância por estes animais serem uns bons indicadores do estado dos recursos marinhos na região. Analisar a reprodução e a sobrevivência da espécie é outro dos objectivos do cientista.

Além disso, houve também surpresas. Yvon Le Maho diz "ter sido interessante ver a tentativa de vocalização [destes animais] com o pinguim robô".

Este método, afirma o cientista, pode incitar outros investigadores a "usarem formas eticamente mais aceitáveis, evitando assim, preconceitos relacionados com a perturbação dos animais no seu ambiente natural".

O Crozet, que pertence a França, foi o arquipélago pioneiro nesta experiência seguindo-se Terra Adélia.

Os resultados desta experiência estão publicados no jornal Nature Methods.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG